ago 152010
 

“No mistério do sem-fim
equilibra-se um planeta.
E no planeta um jardim,
e no jardim, um canteiro;
no canteiro, uma violeta,
e sobre ela, o dia inteiro,
entre o planeta e o sem-fim,
a asa de uma borboleta.”

Cecíllia Meireles

Artigos relacionados:

  7 Comentários para “Cecilia Meirelles – O Mistério do Sem Fim”

Comentários (7)
  1. Luigi, o poema está com o final errado… deve ter sido uma inversão que as vezes acontece quando a gente está digitando… melhor concertar…

  2. Por uma destas coincidências enormes da vida, eu estava ontem mesmo com o livro da Cecília Meireles e depois procurava no You Tube a poesia infantil dela , a Bailarina, para minha filha Beatriz de 08 anos.
    Cecília foi a primeira poetisa da minha vida , ganhei de meu avô a edição da Aguilar de 1958 que guardo até hoje.
    Aqui uma singela homenagem, na voz de Autran:
    http://www.youtube.com/watch?v=ieSUUvoxjew

  3. Cecília realmente dispensa comentários, ela chega ao ponto sem nenhum esforço. Suas palavras conseguem nos tocar tão fundo …. q as até dói ( mas é uma dor gostosa ).

  4. Um rápido vôo de cinema nos leva do universo sem fim até o quieto momento da borboleta no jardim. Belíssima maneira de Cecília nos lembrar que a vida é feita de pequenos e frágeis momentos de felicidade.

  5. LINDO, obrigada pelo dia, pela poesia. É só o que importa, porque podemos ficar sem nada disto, sem mistério, sem fim e sem dia, se não for a poesia.

 Escreva um comentário

(requerido)

(requerido)

Você pode usar estas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>