ago 222010
 
Texto e Fotos de Luigi Rotelli

Maison à colombages na Petite-France. Arquitetura típica da Alsácia e do sul da Alemanha, no Brasil esse tipo de construção é chamada Enxaimel e é encontrada em algumas cidades no Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Arquitetura e Urbanismo

O centro histórico de Estrasburgo é uma grande ilha entre dois braços do rio Ill. Está na lista da Unesco World Heritage como um dos lugares mais incríveis do mundo. Ali estão as casas e edifícios dos séculos XI a XV, entre eles a catedral de Notre Dame e o distrito medieval, com prédios renascentistas e igrejas seculares, dos séculos XVI a XVIII. Um lugar, por tudo, pela arquitetura, pela música e pelos cheiros que exalam dos restaurantes, absolutamente memorável.

Um dos muitos restaurantes charmosos no bairro chamado Petite France. É uma delícia andar a pé pela cidade e degustar a maravilhosa culinária alsaciana.

A cidade é repleta de flores. Há flores nas pontes, nos canteiros das ruas e até nos postes de iluminação. A população tem a tradição de manter flores nas janelas. Na Alsácia, as vilas disputam quem é a mais florida -  há um ranking de ville fleurie (vila florida), que varia de 1 a 5 flores. E as flores são replantadas a cada estação.

Se você se perder pelas ruas da cidade, descobrirá lugares mágicos. Tudo é bonito. Não há como não reparar nos detalhes de cada fachada e na riqueza da arquitetura de cada bairro. Andar por Estrasburgo é uma viagem de descoberta.

Rue des Grandes Arcades

Detalhe da fachada de um prédio. Você anda pela cidade inteira olhando para os lados e para cima. As vitrines das lojas também são lindas.

Place de la Cathédrale

Vista da Notre-Dame a partir de uma pracinha minúscula e charmosa do centro

Para além do rio Ill, que cerca esta grande ilha, a cidade foi ampliada quando foi anexada pela Alemanha entre 1871 e 1919, com avenidas e calçadas largas e retilíneas e prédios nos estilos neoclássico, neorrenascentista e art nouveau. Estrasburgo foi escolhida para ser a vitrine do savoir-faire alemão em urbanismo, a capital do Reichsland na Alsácia e Lorena.

Pont Royal

Avenue de la Liberté, Quartier des Allemands, onde predomina o neo-classicismo.

Detalhe de fachada Art Nouveau na Allée de la Robertsau, próximo às instituições européias e representações diplomáticas.

Este planejamento feito há mais de um século facilitou a organização dos espaços urbanos. Estrasburgo não parece entregue à anarquia natural do crescimento das cidades. Um cuidadoso planejamento urbano está sendo implementado enquanto a cidade se estende em direção ao Rhin.

Paisagismo

A cidade tem cerca de 3 milhões de metros quadrados de parques e praças arborizadas. Existe um investimento imenso da prefeitura em jardinagem e paisagismo. Todos os dias no início da manhã, por toda a cidade caminhões recolhem as folhas do chão com um aspirador, outros passam aguando as flores nas ruas, fazem a poda e replantam as flores a cada estação. O Parque Orangerie, nas fotos abaixo, é um dos vários parques públicos no meio da cidade.

Parque Orangerie no outono. A qualidade de vida da população está refletida nesta cena.

Parque Orangerie no verão

Há muitos lugares aprazíveis para leitura

Mesmo à noite, os parques são atrativos ao passeio e tem restaurantes maravilhosos.

Arborização, paisagismo, flores e mais flores, uma rica arquitetura, grandes parques, praças, canais e mais canais com passarelas em baixo e em cima, pontes iluminadas, é uma cidade que se esforça em ser receptiva e agradável aos pedestres.

Mobilidade Urbana

O transporte coletivo é modelo para outras cidades.  O Tram é um veículo leve sobre trilhos, sucessor dos antigos bondes que ainda hoje rodam nas cidades da Alemanha e da Suiça. Mas diferentemente de outras cidades, onde os carros trafegam por cima das linhas do bonde, na maior parte de Estrasburgo há uma separação física entre os diversos espaços de transporte. Há o espaço para os pedestres, com largas calçadas; as ciclovias nos passeios, bem delimitadas e sinalizadas, o estacionamento de carros e bicicletas (para cada vaga de carro, há 4 para bicicletas), a rua e o espaço do Tramway separado e jardinado. Observe na foto abaixo:

Reparem no que era uma larga avenida com várias pistas: os carros perderam espaço para o transporte coletivo e para as ciclovias.

No centro histórico, as ruas funcionam como calçadões (tráfego apenas de veículos de serviço em determinadas horas) e dividem o espaço de pedestres com as bicicletas e o Tram.

O Tram (Tramway) é um transporte coletivo ecologicamente correto. É elétrico, não polui e não faz barulho. Para andar nele não é preciso subir ou descer longas escadarias como nos metrôs: é só atravessar a rua e entrar, a pé ou de bicicleta. É também uma alternativa muito mais econômica que o metrô, porque não é necessário cavar túneis e nem construir aqueles imensos espaços estruturais subterrâneos para as estações.

La Station République

A simplicidade de uma estação de Tram: tudo é automatizado, não tem bilheteria, não tem catracas. E a praticidade: nada de escadas, nem longos corredores. Pedestres, ciclistas e deficientes físicos tem acesso direto, sem degraus, algo completamente diferente do metrô. A manutenção das linhas é feita de maneira automatizada por veículos híbridos que andam sobre rodas e sobre trilhos: cortam a grama, irrigam-na e limpam os trilhos.

A malha de Tramway cobre a cidade e há uma integração intermodal de transportes com carros, ônibus e bicicletas. Para organizar a mobilidade urbana, em estações estratégicas existem grandes estacionamentos onde você pode deixar o carro o dia inteiro gratuitamente e pagar o preço de apenas uma única passagem de ida e volta válida para todos os passageiros do carro. Paralelamente, há um zoneamento de estacionamentos na rua, progressivamente mais caros conforme a proximidade do centro e com limitação também progressiva do número de horas que você pode deixar o carro – no centro, o limite é 2 horas.  A prefeitura criou esse mecanismo para incentivar as pessoas a deixarem os carros e usarem o transporte coletivo.

Mas o mais interessante é que há ciclovias delimitadas e sinalizadas por toda a cidade e, dentro do Tram, há espaço para as bicicletas.

Ciclista dentro do Tram

Em uma cidade do porte de Estrasburgo (tem cerca de 280.000 habitantes, mas a grande Estrasburgo tem mais de meio milhão de habitantes), atravessar a cidade para trabalhar ou estudar significa andar de 10 a 20 km . Então as pessoas podem ir até a estação mais próxima de Tram, entrar com a bicicleta, fazer grande parte do percurso via Tram e apenas completar o restante do percurso de bicicleta.

As ciclovias se ramificam e para atravessar avenidas há uma faixa delimitada em verde, ao lado da faixa do pedestre. Os passeios não tem degraus e o canteiro central da avenida, onde passa a faixa de pedestre e a de bicicleta, é cortado para não fazer degrau ou rampa, de forma igualmente útil para os deficientes físicos, que conseguem atravessar a cidade sozinhos em cadeiras de roda elétricas.

A prefeitura aloca as crianças na escola do bairro onde os pais moram, para que eles possam buscar os filhos a pé ou de bicicleta. Quando ia levar meu filho na escola maternal pela manhã, mesmo com temperaturas abaixo de zero via pais e mães de bicicleta levando os filhos pequenos encapotadinhos na bicicleta.

Uma mãe que acabou de buscar a filha na escola, voltando em segurança para casa, atravessando o Parc de la Citadelle.

Percebe-se na Europa uma transformação na antiga e ultrapassada ideologia dos carros, que por décadas foi fomentada pela propaganda incessante da indústria automobilistica. Ao contrário do Brasil, dos EUA e do Canadá, onde carros cada vez maiores e mais altos são símbolo de status social, na Europa usar a bicicleta para ir ao trabalho ou escola é que é socialmente valorizado. Vê-se por toda a parte senhores distintos de terno e gravata indo para o trabalho de bicicleta e próximo da universidade o fluxo de professores e estudantes é tão grande que as ciclovias são duplicadas. O ciclismo está em voga; andar de carro é algo que está ficando cada vez mais fora de moda em várias cidades européias.

Planejamento Urbano

Muitas cidades ricas, industriais ou de serviços, exibem um padrão de crescimento desordenado. Elas acumulam inúmeros problemas ambientais e acabam se tornando insípidas, desprovidas de charme e não conseguem manter o equilíbrio entre crescimento e qualidade de vida, pela grande densidade em que se formam. E mesmo aquelas voltadas para o turismo, que conservam seu patrimônio histórico e investem para se manter charmosas e com uma rica agenda cultural, sofrem quase sempre com problemas ambientais ou de violência urbana.

Chama a atenção na cidade a absoluta ausência de poluição visual. Não há outdoors ou placas comerciais de qualquer tipo. A propaganda somente é permitida nas estações de tramways e de ônibus, como essa.

Há poucas cidades que conseguem encontrar um equilíbrio, ainda que frágil, entre suas vocações econômicas e a qualidade de vida, entre economia e meio-ambiente. Não são livres de problemas, mas funcionam maravilhosamente bem no dia a dia para os cidadãos. E é exatamente isso que chama a atenção em Estrasburgo. Ela alberga inúmeras indústrias, tem um porto fluvial importante e um pólo tecnológico de vanguarda, onde estão sendo desenvolvidas tecnologias como a dos carros elétricos. É sede de ínumeras representações diplomáticas e administrativas como capital européia e além disso é uma cidade universitária, portanto tem nos serviços talvez o seu principal fator econômico. Ao mesmo tempo investe para conservar seu patrimônio, é charmosa e atrativa ao turista, tem espaços urbanos bem planejados e ainda mantém o meio ambiente no centro de sua agenda. 

De cidade fortificada (burgo) na rota (strasse) comercial, Estrasburgo hoje é o encontro de várias rotas, a do turismo e da cultura, da indústria, do comércio e serviços e do conhecimento científico e tecnológico. É também o encontro de duas culturas, a francesa e a alemã e ficaria incompleto falar de Estrasburgo sem citar o resultado mais agradável da fusão entre as duas culturas: os vinhos e a culinária alsaciana.

Gastronomia

Em toda a França as boulangeries tem vitrines maravilhosas. É um grande prazer comprar pães pela manhã.

E doces também! Dá para resistir?

Aos aromas que exalam das boulangeries pela manhã, seguem-se os aromas dos restaurantes na hora do almoço. Ingredientes típicos da tradição culinária alemã, como o chucrute e os embutidos de carne de porco, se mesclaram à culinária francesa, com preparo refinado. Ora franceses, ora alemães, os alsacianos aprenderam a conviver entre as duas culturas e dizem, brincando, que na culinária é onde eles reúnem o melhor da França e da Alemanha: a qualidade francesa com a quantidade alemã!

Coincidência não fortuita, os pratos harmonizam maravilhosamente com os vinhos alsacianos. A Alsácia é uma região vinícola excepcional. Na encosta das montanhas dos Vosges, entre Estrasburgo, ao norte, e Mulhouse, ao sul, se produzem os vinhos brancos mais refinados da França, os “Grand Cru” da Alsácia. E, como não poderia deixar de ser, com uma vinicultura bem distinta das outras regiões vinícolas da França: as cepas e os métodos de produção tem influência alemã. O Riesling, Sylvaner e Gewustraminer tem origem em cepas usadas no sul da Alemanha, enquanto o Pinot Gris vem provavelmente da Borgonha. O resultado são vinhos de grande complexidade aromática, destacadamente aqueles produzidos com agricultura biodinâmica.

A rota de vinhos da Alsácia. Uma viagem de descobertas, com paisagens incríveis, cidades lindas, sabores e aromas inesquecíveis.

É terra de vinhos, mas também da cerveja. A região de Estrasburgo é a maior produtora de cerveja da França. Para apreciadores, o melhor dos dois mundos.

É impossível esquecer os aromas e sabores dos vinhos e dos pratos alsacianos, que são bem servidos!

Veja mais sobre vinhos no artigo sobre a Rota de Vinhos da Alsácia, mas esperem algo bem diferente do que usualmente se escreve sobre vinhos.

Artigos relacionados:

  78 Comentários para “Estrasburgo: Parte 2 – Na fronteira da modernidade”

Comentários (77) Pingbacks (1)
  1. Olá Luigi! Vou ser bem objetiva : entre junho e setembro, qual dos dois recomendas para fazer Strasbourg e a Rota do Vinho, e por que? Muito obrigada e parabéns por seu belo trabalho.

  2. Está postagem sobre Strasbourg abriu um novo horizonte para mim, obrigada! Fiquei apaixonada pela cidade, pelas questões urbanas que detalhou aqui. Decidi fazer meu posdoc lá, mesmo sem ter ido pessoalmente. Ampliei minhas pesquisas sobre a cidade… será meu estudo de caso. Gostaria de conversar contigo sobre a Universidade.

  3. Olá Luigi. Seu blog está me ajudando muito a montar meu roteiro de férias por Estrasburgo e Alsácia. Se puder, agradeço se me der uma dica. Dia 18/08 estarei saindo de Colmar, vindo de Estrasburgo e meu vôo de volta é por Estrasburgo no dia 23/08. Vou estar com um carro alugado e gostaria de fazer esse trajeto de volta explorando alguma região. A principio pensei em ir para Freiburg, seguindo para a região do Lago Constança e depois pegar a rota dos Alpes até Füssen. Você acha uma boa opção ou tem alguma outra sugestão? Muito obrigada. Julia.

  4. Oi Luigi! Eu e meu noivo estamos pensando em ir à Strasbourg na lua de Mel…. estamosó indecisos com a data pq queríamos ver a cidade florida… Entretanto só temos disponibilidade de ir ou na primeira quinzena de junho ou em setembro. O que vc recomenda? Obrigada

  5. Olá Luigi,

    Estou indo e voltando no seu texto, olhando os detalhes e tendo a certeza que vou me surpreender na chegada a Strasbourg! Obrigada pelos detalhes e as fotos lindas!! Mas estou com uma dúvida: vi que você falou sobre os tours de bicicleta. Você sabe alguma agência em que possa consultar ainda à distância. Quero saber se tem passeios de um dia por vinícolas – ou você mesmo já consegue me dizer? :-) Mande notícias quando puder! Um abraço e obrigada!!

    • Olá Sabrina,
      Gostaria de te ajudar mas infelizmente não sei onde contratar esses tours. Talvez uma boa pesquisa na internet resolva, mas caso não, entre em alguma agência de turismo lá na cidade que eles devem ter essa informação.
      Abraços e boa viagem,
      Luigi

  6. Luigi, tudo bem?

    Obrigado por ajudar a todos!

    Eu sou musico violonista, tenho 56 anos e estou com objetivo de ir para Straburg ficar um tempo..tempo indeterminado porque vai depender de acontecimentos por lá!
    Na verdade ja conheço varios musicos e que me chamam para que eu vá pra lá!
    Não queria depender só das dicas deles, pois vou conhecer pessoaamente quando chegar…
    Para eu chegar. morarum lugar baratinho…por quanto voce acha que eu consigo?
    Em ugar que fique perto do trans… obrigado

  7. Caro luigi
    Quais são as cidades alemãs mais próximas de Estrasburgo, sabendo que khel faz divisa com esta cidade.
    Gostaria de saber sobre breisach am reino se da para ir de trem.
    Um grande abraço
    Daniel stupp

  8. Boa noite, Luigi.
    Só uma dúvida, por gentileza, os tickets do TRAM têm que ser validados, certo? Eles são validados dentro ou fora do trem?

    Obrigada!

    • Olá Isabella,
      Os tickets são validados em totens eletrônicos que ficam em cada estação. Tem que validar antes de entrar no trem, pois lá dentro não há como validá-los.
      Abraços,
      Luigi

  9. Bonjour Luigi, fiquei encantada com a sua descricao de Estrasburgo, irei passar o mes de setembro e outubro fazendo um curso de frances obrigada pela bela descricao dessa cidade maravilhosa.

  10. Luigi,
    Minha esposa e eu pretendemos ficar em Estrasburgo durante um mês (maio/2016). Será que você poderia nos ajudar, informando a melhor maneira de alugar um apartamento na Petite France, por ser onde nos pareceu melhor?
    Aproveitando a oportunidade, não poderíamos deixar de elogiar suas maravilhosas fotos e proveitosas informações.
    Obrigado.
    Arnaldo e Eliana

    • Prezado Arnaldo,
      Não saberia como te ajudar. Estou no Brasil. Você deve tentar entrar em contato com imobiliárias locais.
      Mas adianto que para 1 mês não conseguirá apartamento mobiliado. Normalmente o aluguel é de 1 ano.
      Para 1 mês somente flat. Nesse caso, eles costumam colocar na internet o contato para reserva.

  11. Estou lendo seus arquivos sobre Alsacia e estou encantada com sua descrição , Estarei indo com minhas irmãs em abril próximo e gostaria de saber como será mais fácil ir a Colmar e cidades vizinhas ,ficarei em Strasbourg ,existe tours montados de um dia ou precisarei de carro? muito obrigada e boa tarde

  12. Olá Luigi!
    No período entre 21 e 25 de setembro estarei em Estrasburgo com mais 4 amigas e gostaríamos de conhecer (em sistema de bate-volta com aluguel de carro) um pouco da Floresta Negra. É possível? Se possível que rota nos aconselharia: Baden-Baden, Freudenstat ou Freiburg in Breisgan. Eu comprei um roteiro que indica essas cidades mas que não esclarece sobre a possível proximidade com Estrasburgo para um bate-volta.
    A propósito, as fotos sobre a cidade são lindas!
    Obrigada
    Atenciosamente
    Yessmin E. Helayel

  13. Olá caro Luigi!

    Parabéns pelo seu trabalho, simplesmente impecável.
    Irei para Estrasburgo em outubro/14, saindo de Frankfurt, a melhor opção será mesmo o TGV? Pretendo passar 03 dias em Strasburgo e 02 em Colmar, vc acha uma boa pedida?
    Poderia me indicar um local bom e com preço razoável de hospedagem nessas duas cidades. Um abraço!! Ana Maria

    • Prezada Ana,
      Vou repetir um comentário que já havia feito no post da Rota de Vinhos da Alsácia.
      Não conheço hotéis em Colmar, porque eu ia e voltava no mesmo dia, mas em Estrasburgo eu mencionei alguns hotéis para parentes e amigos e eles acabaram gostando.
      O mais simples e baratinho é um que fica quase em frente à estação de TRAM, Futura Glacière. O hotel era da rede Etap, que agora foi incorporada pela rede Ibis. Aqui está o link: http://www.ibis.com/gb/hotel-2563-ibis-budget-strasbourg-palais-des-congres-ex-etap-hotel/index.shtml#
      Outro bem melhor é o Hotel Maison Rouge. Fica super bem localizado, perto da Place Kleber, em frente a maior livraria de Strasbourg e com um bom preço.
      Uma leitora ficou no Hotel Regent Contades e me escreveu dizendo ter gostado bastante.
      Então ficam essas sugestões.
      Abraços,
      Luigi

      • Obrigado pelas dicas querido Luigi, sem querer abusar, preciso de mais uma informação: qual a melhor forma de chegar a Strasburgo partindo de Munique?

        Obrigada!

  14. Em tempo,
    Desculpe luigi
    Por engano mencionei mirian no inicio do nosso contado.
    No aguardo da sua resposta.
    Ronaldo Joppert.

  15. Boa tarde Mirian.
    Eu mha esposa pretendemos passar uma temporada de 3 meses na Europa, fixando moradia em estraburgo.
    Ja estivemos passeando pela Europa por 3 vezes.
    Nada obstante, nessa oportunidade, alem de dos seus conhecimentos valiosos retro, que nos foram mto uteis, solicitamos e desde ja agradecemos pelas seguintes informacoes.
    Nossa filha de 26 anos, com otima aparencia, de origem polonesa, formada em veterinaria, vai nos acompanhar objetivando fazer o curso de frances e talvez alemao de baixo custo na universidade e gostaria de saber qual o custo dos cursos.
    Segundo, gostaria de saber se poderia fazer um curso especializado e ou de pos graduacao em veterinaria na mesma universidade.
    Terceiro, gostaria de saber se ha possibilidade de trabalhar para se manter nessa cidade ou proximo.
    Estamos mto agradecidos e nos sentimos mais seguros por contarmos com a sua sempre atenciosa e valiosa colaboracao.
    Um abraco Ronaldo e Shirley.

    • Olá Ronaldo,
      Não saberia responder ao certo nenhuma de suas questões. Apenas o curso de francês na Universidade que eu me lembre era em torno de 130 Euros.
      Atenciosamente,
      Luigi

  16. Luigi, meu filho universitario, 19 anos ficara 6 meses em Strassboug fazendo um curso de frances. Gostaria que vc me indicasse:
    1- onde ficar e o preco
    2 qual o curso de frances que vc indicadia????
    obrigada
    gisele

    • Olá Gisele,

      Difícil achar um bairro ruim em Estrasburgo. A cidade é bem pacificada, segura. Há bairros charmosos para morar como Orangerie, Contades, Robertsau.
      A melhor maneira é procurar as imobiliárias. Os preços variam muito se o imóvel é mobiliado, tamanho, localização.
      Em Orangerie, um dos bairros mais caros, eu consegui um apartamento ótimo, pequeno mas super bem localizado, todo mobiliado, por 800 euros/mês.
      Mas eu fui com a família. Consegue-se mais barato quando é só uma pessoa ou se ele dividir com alguém.
      Quanto ao curso, o da Aliança Francesa lá de Estrasburgo é ótimo.
      Mas existe um quase de graça na Universidade também.

  17. Olá Luigi!

    Acabei de chegar em Strasbourg! Vc me ajudou na escolha do hotel… Regent Contades, e eu adorei! Além de lindinho por fora, o quarto é imenso, bonito e confortável, com uma vista linda da catedral! E os predinhos lindos à frente…? Um charme. Colocaram-me (pedi) num quarto da esquina, assim tenho 3 enormes janelas. Perfeito! Gostei tb da indicação do tram, cheguei de Paris na estação de trem, peguei o tal tram pagando 1,60 euros e em poucos minutos estava aqui ao lado! Obrigada!

    Mara Rossi

    • Que maravilha! Aproveite bastante. Mande fotos da primavera para meu email (luigi@entreculturas.com.br) para eu matar a saudade.

      • Olá Luigi,

        Quando voltar p Brasil e organizar minhas fotos, envio sim… Ah, não me expressei direito, a vista que tenho daqui é de uma linda igreja, mas não da Catedral de Notre Dame… que, aliás, valeria a pena ter vindo aqui só p vê-lá, fiquei estupefata!!! É algo impressiionante… Voltando a pé do restaurante Lê Clou que vc indicou e eu adorei, já quase meia-noite, garoando e ninguém na rua, umas ruazinhas que pareciam cenários de filme, dei de cara com a Catedral! Fiquei lá parada, emocionada, tentando entender como construíram aquela maravilha…

    • Olá Luigi; excelente poder ler suas informações. 2014 estarei indo fazer pós-doc em Strasbourg e estou muito ansioso. A bolsa do governo brasileiro é pequena. Quanto uma pessoa econômica gastaria por mês com hospedagem e alimentação ? Agradeço sua atenção, Daniel

      • Olá Daniel,
        À parte o aluguel, o custo de vida em Strasbourg é mais baixo que no Brasil. Preço de alimentação em geral é mais barato que no Brasil e você come bem melhor. Compras de supermercado e transporte público também saem mais barato e ambos de muito melhor qualidade. Em Khel, cidade vizinha na Alemanha, os supermercados são ainda mais baratos.
        A única coisa realmente mais cara é aluguel, dependendo da referência (por exemplo, os aluguéis em Brasília, São Paulo e Rio são até mais caros). Mas para você ter uma idéia, eu aluguei um apartamento mobiliado em um dos melhores pontos da cidade, já com a conta de água inclusa, por 800 euros por mês. Mas é possível conseguir por menos que isso em bairros distantes.

  18. Boa tarde Luigi! Minha esposa, nosso filho de 5 anos e eu estamos indo para Strasbourg em julho. Passaremos 20 dias lá (minha esposa fará um curso de 3 semanas). Qual região você nos indicaria para ficar. Estamos procurando estadias com o mínimo de estrutura para uma família (não estamos pensando em gastar muito com estadia – quarto, sala, cozinha e banheiro – talvez um estudio). O curso dela será no IIDH. Pretendemos nos encontrar para as refeições. Meu filho e eu ficaremos batendo perna durante todo o período (80% em Strasbourg e 20% nos arredores). Não tenho noção das distâncias e dos bairros… Iremos chegar por Roma e sair por Paris (está é a primeira idéia) no fim de semana no meio iremos para os arredores ou para Zurique.
    Obrigado pela atenção.

    • Boa Noite Vinícius,
      Para uma curta estada como essa creio que você conseguirá flats. Há um legal mais ou menos perto do Parc Orangerie, que é um lugar ótimo e outro no centro, que também é muito bom. Strasbourg tem uma excelente malha de TRAM e ônibus, mas você pode também alugar bicicletas.

      • Muito obrigado. Vou pesquisar esta parte. Descobri o local do curso: Faculty of Law- 1 Place d’Athènes 67000 Strasbourg.

        Realmente o Flat me interessa mais. Gostaria de fazer supermercado ir às padarias e tentar se enquadrar no dia a dia da cidade durante a semana. obrigado pelas sugestões… Vou tentar encontrar um lugar legal. Tenho receito de ficar em um lugar em que as lojas (padarias, cafés e coisas deste tipo) sejas só de turista… Quero pegar coisas mais residenciais.

        Obrigado. Estou sempre relendo seus posts, pois fico mais animado para a vigem. Um abraço.

  19. Parabéns LUIGI!

    Tenho lido muito e acho que li sobre indicação de Hotel p/ seus familiares, por 39 euros, próximo a uma estação de trem!? Estou certo disso? Não achei mais essa dica e estou com problemas p/ visualizar todas as dicas, só estão aparecendo 20 e a marcação é 38 comentários.
    Se puder me ajudar te agradeço. Vi o Hotel que indicou p/ sua irmã, mas se eu conseguir o de $39, melhor!
    Grato

  20. Luigi, boa noite!
    Sou eu novamente! Vc tem alguma dica de passeio de barco no Reno? Sabe algum site, blog, preços?

    Grata

    • Boa noite Daniela. Não fiz esse passeio ainda. Sei que em Koblenz, na Alemanha, tem passeios de barco para avistar os vários castelos que ficam na encosta do Rio Reno.

  21. Olá Luigi,

    Estou encantada com sua atenção e gentileza… Vc me ajudou muito, não tinha me atentado para o fato de Petit France ser um lugar bastante turístico. E eu adoro me misturar com os moradores locais! Não deixando, lógico, de conhecer os pontos turísticos maravilhosos. Bem, vou lhe fazer mais uma pergunta, não sei se vai poder me ajudar… depois de uns dias em Strasbourg ( vou estar vindo de Paris) tenho que ir para Munique. Vc conhece este trecho? Não sei se vou direto de trem ou alugo um carro e paro em alguma cidadezinha linda alemã por uns dois dias… Saindo de Strasbourg tenho uma semana para voltar para o Brasil.

    Obrigada,
    Mara

    • Conheço sim, Mara. Sua primeira parada deveria ser Baden Baden, bem próximo a Strasbourg. Lá há termas maravilhosas como a Friedrichsbad, que é ótima. É importante avisar, entretanto, que nessa terma é proibido usar roupa e, enquanto alguns dias da semana há um lado exclusivo para homens e outro para mulheres, em outros dias os dois lados são de uso misto, oferecendo uma opção bastante civilizada de nudismo. Estou chamando a atenção para isso para evitar surpresas.
      Mais adiante, a estrada para Munique corta a famosa rota romântica da Alemanha, na altura de Landsberg. Você pode rumar ao norte, em direção a Augsburg, Rothenburg e Würzburg, ou ao sul, em direção a Füssen, na divisa com a Áustria, onde tem o famoso Castelo Neuschwanstein que inspirou a Disney: o castelo da Cinderela.

      • Olá Luigi!

        Obrigada pelas dicas… Vou para Baden Baden de trem, lá alugo um carro e vou para Füssen, e depois para Munique. Como tenho uns dias em Munique, talvez passe um dia em Salzburg. Vi fotos de Friedrichsbad e adorei, com certeza vou passar por lá. Vc não imagina como me ajudou… e parabéns! Suas fotos são perfeitas! Abraços,

        Mara

  22. Olá Luigi!

    Estou indo para Strasbourg dia 6/5/13 e estou na maior dúvida se fico no Hotel Spa Le Bouclier D’Or em Petit France ou no Regent Contades no centro. Como vc conhece a cidade acredito que possa me ajudar, pois achei o Regent muito bonito (e a metade do preço do outro!), mas adoro ficar num lugar bem charmoso, onde possa andar a pé… O que acha da localização do Regent Contades, na Rue de la Liberté?

    Obrigada!
    Mara

    • Ah! Regent Contades. Eu sempre passava em frente. Ele tem uma entrada bem bonitinha. Ele não fica no centro e sim no Quartier des Allemands. É um lugar muito charmoso e bem mais estratégico para conhecer várias partes de Estrasburgo. O TRAM passa do lado. Eu sem a menor sombra de dúvida escolheria esse.

      • Obrigada Luigi,

        Abusando da sua atenção… mas poder andar a pé em Petit France não seria mais interessante? Abraços,
        Mara

        • Mara, mas quase a cidade inteira é ótima para andar a pé. A Avenue de la Liberté, onde está o hotel, todo o quartier des allemands, todo o centro e a petite france, a área da universidade que fica do outro lado do canal, pertinho do hotel e o Orangerie, tudo ali foi construído pensando em andar a pé. Na petite france você só irá ver turistas. Alí na Avenue de la Liberté você verá o fluxo da cidade real, os professores e estudantes indo para a universidade de bicicleta ou a pé, os cafés alí perto…
          Uma outra possibilidade seria um hotel que indiquei para minha irmã e ela gostou. Fica super bem localizado, perto da Place Kleber e em frente a maior livraria de Strasbourg (livraria Kleber) e não sei agora, mas na época tinha um ótimo preço (77 euros): é o Hotel Maison Rouge.

  23. Luigi, não sei se estou mais encantada com o local ou pela forma que você descreveu. Parabéns! Estou na França e certamente vou conhecer Strasbourg.

  24. Luigi, excelente apresentação de Estrasburgo :)
    Estou prestes a mudar-me para lá, alguma recomendação na escolha de uma casa e bairro para morar?
    Obrigado.

    • Marco,
      Acho que a melhor região para morar está no setor entre a Avenida de la Paix e o Parc de l’Orangerie. São os bairros chamados Contades e Orangerie. Eu aluguei um apartamento na Boulevard du Président Edwards, bem em frente ao parque e foi absolutamente fantástico.
      Outro setor gostoso de morar é perto do Jardin Botanique, ou no centro ou, um pouco mais longe, há lugares simpatissímos em Robertsau.
      Procure ficar não muito longe (menos de 1km) da linha do Tram para facilitar sua vida.
      Abraços,
      Luigi

  25. Fiquei muito encantado , estamos querendo comemorar 35 de casados será perfeito ir com suas dicas .O que acha de ficarmos em Colmar . Tem dicas .

  26. Iremos para Strasbourgo em dezembro proximo(2012). Depois que li seu texto nao vejo a hora de partir. Nem sei explicar o que esta melhor, o texto? as fotos? as dicas? De la´iremos para Lyon e depois Londres. O que tem para falar de Lyon?

  27. Estou apaixonada pela cidade, passei por Estrasburgo em 2003 muito rapidamente e nem imaginava que se tratava de um lugar tão especial assim, obrigada pelas dicas e parabéns por essa exposição maravilhosa.

  28. Olá
    Seu site é muito bem elaborado, com texto de agradável leitura e bem informativo.
    Estarei chegando em Estrasburgo no dia 08/07 (domingo) com meu marido e 3 crianças na faixa de 9 a 11 anos.
    Você poderia informar qual seria a melhor opção de transporte da estação do TGV para Rue de Bouchers (onde estaremos hospedados). Tem ponto de táxi na estação?Os taxistas são confiáveis?
    Só teremos 1 dia na cidade e gostaria de fazer um roteiro educativo e prazeiroso para as crianças. Pensei na Catedral de Notre Dame, com seu relógio Astronomico (entrada até 11:30 hs), na Petite France, num passeio de barco e no Parque de L’orangerie. O que você acha? Qual seria a melhor ordem para executar o roteiro?
    Obrigada pela ajuda.
    Renata

    • Olá Renata,
      Pegue o TRAM na estação de TGV linha A em direção Illkirch. Pare na estação Porte de l’Hôpital, que fica na esquina da Rue des Bouchers.
      Como é domingo, não haverá muita disponibilidade de restaurantes abertos para almoço.
      Sugiro almoçar próximo a Catedral, por exemplo no Au Vieux Strasbourg (Cathédrale) – 5 Rue du Maroquin.
      Atenção ao horário de almoço, que é bem restrito. Procure chegar no máximo às 13:00hs no restaurante, caso contrário não conseguirá almoçar.
      Um roteiro interessante será fazer o percurso parte Tram, parte a pé começando pela Petit France até o Parlamento Europeu, passando pela Catedral, ruas do centro, Place de la Républic, onde tem o Teatro Nacional, a Biblioteca Nacional e o Palais du Rhin. De lá pelo Quartier Allemand até a Universidade e depois pela Allée de la Robertsau a pé ou de Tram até o Parque Orangerie (estação Droits de l’Homme).
      Não deixe de subir na torre da Catedral. Passei a pé pela margem dos canais tanto em cima quanto embaixo, na passarela à beira d’água.
      Jante no Le Clou (se estiver aberto domingo à noite).
      3 Rue du Chaudron
      http://www.le-clou.com/

      • Luigi
        Obrigada por sua valiosa contribuição na elaboração do roteiro da nossa viagem! Seguirei as suas dicas para conhecer a cidade.
        Iremos almoçar logo após a apresentação do relógio astronomico para não corrermos o risco de ficarmos com fome. Além da sua indicação (Aux vieux Strasboug), também indicaram o restaurante Au Dauphin (13, Place de la Cathédrale). Você conhece?
        O restaurante que você indicou para o jantar (Le Clou) fica próximo a algum ponto turístico? Caso ele não abra no domingo, será que tem algum restaurante bom dentro do parque de l’orangerie?
        Só mais uma pergunta: você acha que vale a pena o passeio de barco? Ele funciona a noite?
        Obrigada
        Renata

        • Renata,
          Estrasburgo inteiro é um ponto turístico.
          Nunca fui no Au Dauphin, mas dizem que é bom. O Le Clou também fica próximo a Catedral.
          Existem dois bons restaurantes dentro do parque Orangerie:

          • O que fica em frente ao lago é barato, boa comida mas abre só no almoço.
          • O outro é um lugar charmoso, mas um tanto caro. É o Buerehiesel.

          Na Petit France tem um restaurante que é um charme, na beira do canal. Ótima comida e preço bom:
          Au Point Saint Martin
          http://www.pont-saint-martin.com/index.php
          Veja outros restaurantes no Via Michelin.

  29. Prezado Luiz. Chegarei a Estrasbourg por volta do dia 15 de julho, vindo de Luxemburgo e vou seguir suas consistentes e generosas dicas. Ab. Zenon

  30. AMEI…O SEU BLOG.

    REALMENTE, A TEMPOS VENHO PESQUISANDO E SÓ HJ ENCONTREI. MUITO BOA AS OBSERVAÇÕES A CERCA DO TRANSPOSTE DE STRASBOURG. VOU EM OUTUBRO COM MEU MARIDO E MINHA FILHA DE 03 ANOS. GOSTARIA DE SABER SE É SIMPLES EU SAIR DO HILTON E IR ATÉ A CATEDRAL, AO CAROSSEL E AO BAIRRO PETIT FRANCE. GOSTARIA DE SABER SE É UMA CIDADE PERIGASA, VIOLENTE.

    MUITO OBRIGADA

    VERIDIANA

    • Olá Veridiana,
      O Hilton fica perto da linha de Tram, próximo à estação Lycée Kleber.
      Pegue o Tram Linha B, na estação Lycée Kleber – direção Lingolsheim Tiergaertel – até a estação Homme de Fer. De lá é só andar a pé para visitar todos esses lugares que você citou. Para voltar, só fazer o caminho inverso pela linha B, direção Hoenheim Gare e parar no Lycée Kleber.
      O Tram funciona até 00:30hs e passa a cada 6 minutos.
      Strasbourg é bastante segura. Nunca tive problema em andar a pé até tarde, até mesmo dentro de parques.
      Não deixe de ir ao Parc Orangerie. Sua filhinha vai gostar de lá.

      • LUIGI,

        MUITISSIMO OBRIGADA PELA SUA ATENÇÃO. CONVERSAR COM QUEM CONHECE ME DEIXA MAIS CALMA…SABE COMO É MÃE-VIAJANDO-COM CRIANÇA DE PRIMEIRA VIAGEM É FOGO!!!!
        MAS SÓ MAIS UMA COISINHA. QUANTO AOS BARCOS, É FÁCIL DE COMPRAR NA HORA?

  31. Olá Luigi! Simplesmente me apaixonei por esta cidade! Eu estava buscando lugares na França, pois estou programando uma viagem e depois do seu site tudo mudou!!! Quero ir a Estrasburgo! Parabéns!!!

    Gostaria de saber em que época vc foi? E também sobre o clima em setembro.
    Vc tem dicas sobre a Itália também?
    Desde já muito obrigada!

  32. Fiquei fascinada com este lugar!

  33. Estrasburgo é uma das cidades mais bem cuidadas do mundo que eu conhecí, em matéria de zêlo se equipara a Cingapura. Bonita apresentação Luiz, Parabens

  34. Bela apresentação Luigi. Parabens

  35. Luigi,
    sua iniciativa é de uma generosidade ímpar; cultivar a cultura sem vaidades é dom de poucos, compartilhar conhecimentos e experiências é dom sublime…
    Strasbourg já está na minha próxima rota e estou seguindo o seu site na espera de dicas de hospedagem e sobre a melhor opção de transporte a partir de Paris. Talvez não seja esse o objetivo do site, então ficaria grata se enviasse via e-mail…

    Em tempo: não faço questão de ter meus comentários publicados no site, aliás, o meu primeiro comentário foi enviado sem querer, pois estava treinando meu “français” e enquanto fazia algumas correções cliquei acidentalmente na opção enviar.
    Acho melhor retirá-lo…
    Abraços e, ” l’autre fois, félicitation!”
    Mazé

    • Deixa o comentário lá, está bonitinho. Eu faço questão dos seus comentários publicados no site. A melhor opção de transporte de Paris a Estrasburgo é via TGV (o trem bala), a viagem dura apenas 2:20hs. E sai da Gare de l’Est, que você chega de metrô, sem espera, nem fila, nem as complicações de aeroporto.
      Dicas de hospedagem: se você não tiver com muita pressa, vou depois escrever uma matéria sobre como viajar bem barato no interior da França (hotéis com quarto triplo entre 35 a 50 euros o quarto, dicas de alimentação, transporte). Se já estiver saindo de viagem, acesse http://www.booking.com e veja o melhor custo/benefício para a data de sua viagem.

  36. Luis! Adorei o layout do site e mais uma vez você tá de parabéns pelas fotos e pelo texto!
    Acho que agora só estão faltando algumas fotos e um texto sobre Bergen, a cidade mais bonita de toda a Escandinávia! : )
    Abraçoo

  37. Bonjour cher ami Luiz!
    Merci à vous pour partager votre culture et art avec nous. Le site est très interessant et maintenant je veux bien aller a Strasbourg sur mon prochain voyage en France.
    Merci beaucoup!

  38. Belo texto, bela fotografia. Estrasburgo vai ficar devendo ao autor essa apresentação impecável e rica. É a cidade da rota? Depois daqui passa a ser a nossa rota

  39. Fiquei absolutamente encantada com as fotografias e a sua descrição de Estrasburgo, se antes era só curiosidade,agora é desejo sincero de conhecê-la.
    Parabéns pelo conteúdo e pela sensibilidade, que faz a gente enxergar este belíssimo lugar com os seus olhos de artista.

 Escreva um comentário

(requerido)

(requerido)

Você pode usar estas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>