ago 152010
 
Por Luigi Rotelli

Antes de começar a falar deste compositor/musicista, gostaria que escutassem essa belíssima música, em cravo, acordeom e piano de brinquedo. Chama-se La valse d’Amélie. Clique neste player abaixo e deixe a música evocar sensações e imagens em sua mente:

Yann Tiersen (pronuncia-se Iã Tiersên) é francês, nascido em Brest, extremidade oeste da França, tem 40 anos, é compositor e multiinstrumentista: toca piano, acordeom, violino, guitarra, carrilhão, banjo, bandolim, violão, cravo, vibrafone, baixo, escaleta e qualquer outro instrumento que você colocar na mão dele. Além de compor esta música lindíssima, ele é quem tocou todos os instrumentos. Duvida? Veja um show ao vivo dele filmado em 2001 mais abaixo. Ele não só toca vários instrumentos, como toca dois ao mesmo tempo.

Tiersen ficou mundialmente conhecido pela composição (e performance) da trilha sonora do filme de Jean Pierre Jeunet, “O fabuloso destino de Amélie Poulain” (2001), um filme com um roteiro original, divertidíssimo, locado no bairro parisiense montmartre. La valse d’Amélie faz parte desta trilha, com versões também em piano e orquestra, cada uma mais bonita que a outra.

Neste trecho de um show ao vivo em 2001, ele toca três composições que fazem parte da trilha sonora do filme. A primeira é A Quai, em acordeon; a segunda é Sur le fil, em violino, e por último Le Banquet, no acordeom e com uma paleta de violino sobre um vibrafone.
Veja a performance ao vivo de Yann Tiersen no Eurock 2001:

Fala a verdade se o cara não caiu em um caldeirão de música quando era pequeno e os efeitos da poção mágica se tornaram permanentes nele?

Outras belas trilhas sonoras que ele compôs são do filme “Adeus, Lênin!” do diretor alemão Wolfgang Becker (2003), que se passa durante o período da reunificação das duas alemanhas, da queda do muro de Berlim – essa quase toda em piano, com um tom melancólico – e Tabarly (2008), um documentário de Pierre Marcel pouco conhecido por aqui sobre o velejador Eric Tabarly, considerado o pai do iatismo francês (duas vezes campeão da OSTAR – Original Single-Handed Trans-Atlantic Race em 1964 e 1976), que desapareceu no oceano em 1998.

Neste outro vídeo, a música Le Moulin, em piano e escaleta ao mesmo tempo:

Os críticos consideram que o estilo de Tiersen vem da música folclórica francesa, as chansons, valsa musette e música de rua e reconhecem influências diversas passando pelo rock, avant-garde, música clássica (Chopin) e minimalista (citam Erik Satie e Philip Glass e um outro cara que eu não conheço). Só isso? Pas si simple, tudo isso é apenas uma introdução para dizer, na prática, que ele não se confunde com nenhum deles e não se encaixa propriamente em nenhum gênero de música; o cara é original, tem estilo próprio. Alguns, de fato, chegam a compará-lo, pelas sutilezas melódicas, ao grande Nino Rota.

Apaixonado por rock desde a adolescência, Tiersen deu uma guinada total para o rock nos últimos anos e trocou, em boa parte das músicas, o piano, o violino e o acordeom pela guitarra elétrica. O DVD “On Tour”, de 2006, é rock puro, completamente diferente de tudo o que ele fez antes (no YouTube tem alguns vídeos deste DVD). Ele esteve em uma pequena tournée no Brasil este ano, com sua banda.

Para os pianistas e acordeonistas que estão lendo este artigo, clique neste  link para salvar a partitura da versão em piano da música La Valse d’Amélie.

E por fim, uma improvisação ao piano de Rue des Cascades:

DISCOGRAFIA:
1995 - La Valse des Monstres
1996 - Rue des Cascades
1997 - Le Phare
1999 - Black Session (Live)
1999 - Tout est calme
2001 - L'absent
2001 - Le Fabuleux Destin d'Amélie Poulain: seu trabalho instrumental mais expressivo e variado. Todas as músicas do CD, sem exceção, são belíssimas. De uma certa forma, uma síntese do trabalho dele até então.
2002 – C’Etait Ici (CD duplo gravado ao vivo, incluindo várias faixas da trilha de Amélie)
2003 - Goodbye Lenin! (a edição americana cortou várias faixas. Procure a edição européia, completa, com 23 faixas)
2004 - Yann & Shannon
2005 - Les Retrouvailles
2005 - La Traversée (em DVD e CD)
2006 - On Tour (em DVD e CD)
2008 - Tabarly:trilha sonora do documentário sobre o velejador Eric Tabarly, que desapareceu no oceano em 1998.
2010 – Dust Lane (em progresso)
Site oficial:

http://www.yanntiersen.fr/

Artigos relacionados:

  4 Comentários para “Yann Tiersen e a música do cinema francês”

Comentários (4)
  1. Comparemos a musica do Yann Tiersen com as musicas brasileiras de hoje…
    Chega a ser triste.

  2. Experimenta todos os instrumentos, e me pareceu se manter dentro da tradição das chansons francesas. Só não consigo imaginar sua guinada para o rock.

  3. Gostei muito do seu comentário, a música dele é vibrante, talvez ainda mais que o filme…

 Escreva um comentário

(requerido)

(requerido)

Você pode usar estas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>