fev 132011
 
Por Liu Yao Wen

Em 2007 em um concurso informal e popular foram eleitas as 7 maiores maravilhas do mundo moderno realizadas pelo homem: Chichen Itza, no México; Cristo Redentor, no Rio de Janeiro; Coliseu de Roma, na Itália; A Grande Muralha da China; Petra, na Jordânia; Taj Mahal em Agra, Índia e Machu Picchu, no Peru.

Alinhamento – MachuPicchu. Foto de capa: David Pham (sob licença Creative Commons). “Machu Picchu teria sido um local de se ver no final de 1400, com paredes de granito branco brilhantes encimadas por telhados de colmo dourado. Hoje, ela tem uma beleza diferente, com as estruturas de pedra expostas pelo tempo ecoando a geometria das montanhas que cercam o local. É como se a arquitetura de mais de 500 anos tivesse se fundido com a montanha.” Fotógrafo David Pham.

De todas as 7 Maravilhas, acredito que Machu Picchu é a mais idealizada, a mais inacessível. Ela requer ousadia, preparo físico de atleta para passar dias caminhando em altitudes extremas com ar rarefeito (acima de 3000 metros), dormindo em barracas úmidas em cima de chão duro, passando fome, sede e frio….

Nada disso….

Nas próximas linhas vou leva-los ao Peru, numa viagem surpreendente, recheada de história, cultura, gastronomia, com conforto, luxo e, incrível, gastando pouco.

Eu, embarcando no trem para Machu Picchu. Foto de Lee I Jung.

Quando eu era estudante na década de 80 existiam 2 alternativas para se ir à Machu Picchu:

- De mochila, começando a viagem no trem que liga Bauru-SP a Corumbá-MS e depois no trem da morte que vai de Quijarro a Santa Cruz de la Sierra na Bolívia, seguia para Cuzco no Peru e mais alguns dias caminhando até Machu Picchu pela trilha Inca. Algo em torno de 15 dias se tudo desse certo.

- Ou ia de mochila para São Tomé das Letras em Minas Gerais, fumava um baseado e se tele-transportava para Machu Picchu.

Hoje em dia é bem mais simples:

De avião são pouco mais de 5 horas de vôo de São Paulo a Lima e mais uma hora e 15min de Lima a Cuzco. Depois são mais 3horas e meia de trem, indo de Cuzco até Machu Picchu. Em menos de um dia é possível chegar lá com conforto e rapidez.

Pouco conhecida pelos brasileiros, Cuzco (a Capital da Província e Departamento de Cuzco no Peru) é a porta de entrada para se acessar as principais ruínas do Império Inca, incluindo Machu Picchu.

Vista da cidade de Cuzco. Foto: Liu Yao Wen

Panoramica Cuzco. Foto: Wendorf Rodríguez

Cuzco é uma cidade andina (3400 metros de altitude), situada no sudeste do Vale de Huatanay ou Vale Sagrado dos Incas, com uma população de cerca de 300 mil habitantes. Antes da chegada dos espanhóis no século XVI, era o mais importante centro administrativo e cultural do Império Inca.

Com aeroporto, ferrovia e rodovias, é parada obrigatória para turistas do mundo todo, independente se for jovem mochileiro ou idoso aventureiro com recursos.

Cuzco tem uma excelente estrutura turística com hotéis, restaurantes e atrações que atendem a todos os gostos e bolsos. Você pode tanto se hospedar em hotéis de luxo como o Hotel Monastério, operado pela empresa Orient-Express, ao custo de US$400,00 a diária…

Hotel Monastério

…ou Albergues para mochileiros, gastando poucos dólares o pernoite.

Você pode comer Chicharrón (prato típico feito com carne de porco frito, acompanhado por batatas) na rua gastando US$2,50 o prato ou jantar um Menu Degustação de pratos Peruanos Contemporâneo regados a vinho Francês no MAP Café dentro do Museu de Arte Pré Colombiana por US$90,00.

Pode-se comprar ingresso para uma noite dentro de uma danceteria descolada, assim como andar pelas ruas e ver algumas preciosidades como a Pedra dos Doze Ângulos de graça.

Cuzco à noite. Foto de Liu Yao Wen

Se tem uma coisa que não é opcional, mas compulsória em Cuzco, é a adaptação a altitude. A 3400 metros, altitude inimaginável para brasileiros e a maioria dos turistas estrangeiros, qualquer esforço mínimo nas primeiras horas na cidade é como se fosse uma corrida de 1500 metros. Algumas pessoas mais tolerantes, passam somente com um pouco de taquicardia e no máximo uma dorzinha de cabeça incômoda. Outras podem passar muito mal, com náuseas, vômitos, diarreia, ou cefaléia extrema, necessitando receber oxigênio puro ou atendimento médico. De qualquer maneira, as primeiras 48 horas na cidade devem servir de aclimatação do corpo à altitude, evitando esforços físicos intensos, alimentos pesados e excesso de bebidas alcoólicas.

O período de adaptação a altitude de Cuzco é longe de ser monótona, porque a cidade tem atrativos surpreendentes para quem não a conhece. A minha imagem da cidade antes de chegar lá era de igrejas antigas caindo ao pedaços, com cheiro de urina de cachorro e rodeadas de pedintes. A realidade mostrou-se totalmente diferente, com monumentos bem preservados, ruas limpas, praças floridas e conservadas e a população saudável e amistosa. Basta dizer “No Gracias” para os vendedores ambulantes que eles se afastam sem insistir.

Souvenirs na beira da estrada para o Vale Sagrado. Foto: Dachalan (licença CC)

Logo ao chegar ao Hotel , fizemos o check-in e planejamos os passeios durante os dias de permanência em Cuzco. Seguimos diretamente ao Centro da cidade para o Jack’s Café Bar (um pub irlandês). Pela sua localização central e fácil acesso, este tornou-se o ponto de encontro principalmente dos turistas estrangeiros. Serve comida boa e fresca diariamente e com um menu extenso. Tomamos o primeiro chá de coca (tem gosto parecido com chá mate e não dá barato, se quiserem saber), fizemos um rápido e delicioso lanche e partimos para a Plaza de Armas onde se localizam a Catedral e a Igreja Companhia de Jesus.

Interior da Igreja Companhia de Jesus. Foto: Leander Canaris (sob licença Creative Commons)

Em frente a praça encontram-se a bilheteria do Perurail onde se reserva passagens de trem para Ollaytaytambo (Vale Sagrado) e Machu Picchu, uma lanchonete MacDonalds para os que não conseguem ficar sem trash, digo fast food, lojas de artigos de prata (Peru é o maior produtor de prata do mundo) e alguns bons cafés e restaurantes.

Entramos e sentamos no bar do acolhedor restaurante bar Inka Grill e tomamos coquetéis feitos a base de Pisco, uma bebida considerada patrimônio peruano feito basicamente da destilação do mosto de uvas. De cortesia nos serviram varias tipos de batata, fritas, assadas e em chips.

O nosso primeiro jantar peruano foi no restaurante Cicciolina (comida mediterrânea e nova andina), um surpreendente cantina estilo rural Toscano de 2 andares. O térreo produz pães para o restaurante e serve café da manhã. O andar de cima com 2 cozinhas distintas (enfeitada com ramos de pimentas, alho e flores frescas), serve ceviche, sushis, tempuras, carnes e massas italianas. Tudo é feito na hora atrás do apertado balcão: a confecção das pastas frescas, peixes e carnes grelhadas e das reduções de molhos perfeitos.

Jantar em “La Cicciolina” com nossos amigos e companheiros de viagem. Da esquerda para a direita: Hélio Sérgio, Francyne, Lee e eu.

Em poucas horas no solo peruano, tivemos uma amostra perfeita de como o país tem identidade e diversidade gastronômica. Da sopa quentinha e saborosa do Jacks café, dos deliciosos drinks a base de Pisco e batatas crocantes do Inka Gril ao jantar no Cicciolina, com uma comida que harmonizou perfeitamente culinárias tão distintas quanto a italiana com a japonesa.

 

Terceiro país da américa do sul em extensão, só perdendo para o Brasil e Argentina, o Peru tem uma diversidade climática invejável, reunindo 84 dos 104 ecossistemas existentes no mundo, agrupadas em 3 grandes regiões: costa (Pacífico), serra (Andes) e selva (Amazônia). A primeira disponibiliza mais de mil espécies comestíveis entre peixes e frutos do mar, como corvina, lagosta e linguado. Da segunda chegam a batata, milho, além de carnes de cuy (parecido com porquinho-da-índia), alpacas e ají (tipo de pimenta). Já a última é regida por carnes de caça que normalmente são acompanhadas de banana e mandioca, além de peixes de água doce.

Além da diversidade climática, o Perú possui uma multiplicidade étnica interessante, mesclando a civilização Inca, os invasores espanhóis no século XVI e a imigração: primeira de chineses por volta de 1850 e depois dos japoneses em 1899. Esta mistura de culturas permitiu uma revolução silenciosa porém vanguardista da culinária peruana, hoje considerada uma cozinha refinada e que se espalha pelo mundo.

O povo Inca cultiva a batata há mais de 7 mil anos e foram os primeiros manipuladores genéticos que se tem notícia no mundo. A batata teve a origem rastreada por DNA e as mais de 4000 variedades conhecidas atualmente, descendem de uma variedade primordial do sul do Peru. Hoje se comercializa mais de 200 variedades nos mercados peruanos. Além da batata, os incas manipularam o milho, sendo 35 tipos os mais consumidos, de cor amarela, branca e morada (negra). Outro produto emblemático do Peru são as pimentas, em torno de 2900 tipos. A capacidade dos incas de fazer seleção e melhoramento genético era fantástica e podemos tomar como exemplo também a lhama, alpaca, vicunha e guanaco. Tanto as lhamas como as alpacas, são animais que foram domesticadas pelos incas, importantes para o transporte e suprimento de lã e carne, diferentemente dos guanacos e vicunhas que são animais menores e selvagens.

Os espanhóis por sua vez, sofreram influência dos árabes e contribuíram com novos ingredientes que foram incorporados à culinária peruana, como trigo, uvas, arroz, laticínios, cebolas e azeitonas.

Por volta da metade do século XIX, chegaram os primeiros chineses com suas frituras, molhos e culinária milenar. Em quase todas cidades do Peru encontramos as Chifas, somente em Lima existem mais de 6000 deles, restaurantes chineses de baixo custo e que diferem dos restaurantes chineses tradicionais por utilizar ingredientes andinos. Em restaurantes não considerados de comida chinesa podemos encontrar pratos com o nome de “chaufa”, um tipo de risoto de arroz muito parecido com o Arroz chop-suey encontrados nos restaurantes chineses aqui do Brasil.

No final do século XIX, em 1899, chegaram os primeiros 790 japoneses ao Peru, iniciando um onda imigratória e que hoje compreende por volta de 90 mil descendentes, sendo a segunda maior colônia japonesa na América Latina, perdendo somente para o Brasil. A influência da imigração japonesa ao Peru está na valorização do consumo de pescados. A combinação dos pratos japoneses com o uso dos ingredientes andinos originou a culinária Nikkei.

Com a evolução e descoberta da cozinha peruana pelos grandes chefs, iniciou-se um movimento de intercâmbio de chefs locais com a cozinha Italiana e Francesa, internacionalizando ainda mais a culinária Peruana.

Dentro de Cuzco, são imperdíveis o convento e o museu de Santa Catalina, a Catedral, Templo da Companhia de Jesus, Museu de Arte Pré-Colombiana, Qoricancha (Templo do Sol) e Convento de Santo Domingo.

Sitio de Qoricancha. Foto: Liu Yao Wen

Anoitecer em frente à Catedral. Foto: Liu Yao Wen

Interior do Convento de Santo Domingo. Foto: Liu Yao Wen

Peças do Museu de Arte Pré Colombiana. Foto: Liu Yao Wen

Nos arredores de Cuzco encontramos 2 grandes ruínas Incas, Saqsayhuaman e Q’enqo (o Vale Sagrado é compreendido por Sacsayhuaman, Q’enqo, Tambomachay, Písac, Machay, Maras, Ollantaytambo, Chinchero e Urubamba).

Saqsayhuaman situa-se a 3700 metros de altitude e pode ser acessada de Cuzco em uma pequena caminhada. Ela é um complexo arqueológico que outrora fora um templo de devoção aos deuses, e que até hoje em 24 de junho, no solstício de inverno, o festival anual de Inti Raymi onde se representa o ritual incaico de culto ao deus sol ou inti. Os decendentes dos incas se vestem com fantasias coloridas e realizam danças típicas repetindo assim a tradição de seus antepassados. Hoje sobraram somente 20% das pedras do complexo, porque os espanhóis levaram as pedras mais leves para Cuzco afim de construir suas igrejas e casas logo após a conquista do local. Mesmo assim, o visual panorâmico de Saqsayhuaman é impressionante, com pedras imensas encaixadas umas as outras com perfeição e que resistiram até a terremotos. No local existem também escorregadores naturais feitas através da solidificação de lava vulcânica.

Ruinas de Sacsayhuaman. Foto: Liu Yao Wen

Escorregador natural e detalhe da pata do puma. Fotos: Liu Yao Wen

Após a aclimatação partimos para outros locais sagrados dos Incas:

Caminho para Ollantaytambo. Foto: David Pham

Chinchero é um povoado agrícola onde se situa um imponente muro inca muito bem preservado e alguns belíssimos terraços. Atualmente existe uma igreja construída em cima da fundação dos antigos templos incas. Dentro do povoado existem lojas com demonstração da fiação e tingimento da lã de alpaca.

 

Maras, com as salineiras localizadas a 4000 metros de altitude. Um pequeno riacho que brota de dentro da montanha leva água extremamente salgada encosta abaixo. A água é então represada em centenas de pequenos currais de socalco (porção de terreno mais ou menos horizontal, formando degraus numa encosta, suportado por pequenos muros). A evaporação da água forma camadas de sal de 3 categorias: a mais superficial, mais pura e de cor branca para o consumo humano, a intermediária para ração animal e a mais escura para sais de banho. A salina é de época pré-inca sendo hoje explorada artesanalmente pelas famílias de Maras (cada uma com 1 a 3 currais na média).

Salinas de Maras. Foto: Dachalan

Moray onde se localizam os terraços circulares concêntricos com mais de 150 metros de profundidade. Acredita-se que estes terraços serviram para experimentação agrícola. Cada terraço em forma de anel reproduzia um micro clima diferente, os mais profundos frios e úmidos e os mais altos, secos e quentes. Nestes espaços de experimentação, os incas produziram milhares de espécies de batatas e centenas de tipos de milho.

Moray. Foto: {d} (licença CC, nome real desconhecido,Flickr)

A dimensão dos terraços de Moray. Foto: { d } (licença CC, nome real desconhecido,Flickr)

Ollantaytambo é um complexo arqueológico monumental do Império Inca. Projetado para ser uma cidade alojamento, esta estrategicamente localizada para proteger o Vale Sagrado dos Incas. As pedras empregadas na sua construção e o cuidado na sua manipulação fazem Ollantaytambo umas das principais atrações do Vale Sagrado. As imensas rochas foram transportadas de uma distância considerável (vários quilômetros), demonstrando a grande capacidade dos incas em técnicas de transporte em sua época. Hoje Ollantaytambo concentra pousadas e restaurantes, além de uma estação de trem a meio caminho de Machu Picchu.

Por do sol em Ollantaytambo. Foto: D.Clow-Maryland

Pisac foi construída pelos Incas para 3 finalidades: Militar, religioso e agrícola. Corresponde a um conjunto de 4 grupos de ruínas: Pisaqa, Intihuatana (Templo do Sol), Q’allaqasa, e Kinchiracay. Existe uma pequena trilha que liga estes grupos e cada face da encosta é uma visão de tirar o fôlego:

Recomendo visitar Pisac bem cedo antes da chegada dos ônibus turísticos ou no final do dia quando as hordas de turistas já se foram.

Finalmente Machu Picchu:

O Ritmo da Montanhas – Machu Picchu. Foto: David Pham (sob licença Creative Commons).

Foto: David Pham

Machu Picchu ou “montanha velha” em quíchua (língua dos incas), considerada a Cidade Perdida dos Incas devida a descoberta tardia em 1911 pelo professor americano Hiram Bingham. Ela se tornou um lugar misterioso porque nunca foi saqueada pelo invasores espanhóis e já se sabe que foi abandonado antes mesma da chegada dos mesmos. Não se descobriu ainda ao certo a função do local, apenas que consiste em duas grandes áreas, a agrícola formada por terraços de plantio e recintos para o depósito dos alimentos e pela urbana onde se situam os templos, praças e mausoléus. O lugar foi elevado a categoria de Patrimônio Mundial em 1983 e atualmente é fonte de preocupação da UNESCO pela exploração turística excessiva. São milhares de visitantes diariamente totalizando 450 mil ao ano. Somente 30% das ruínas são originais(facilmente reconhecidas pelo encaixe perfeito das pedras), o restante foi restaurado pelo governo peruano.

Machu Picchu no início da manhã, com fog. Foto: Rickz (Licença CC)

Ruínas de Machu Picchu. Foto: Tomer Arazy

Foto: ckmck (Licença CC)

Eu sempre acreditei que se subia até Machu Picchu, mas na verdade a gente desce dos 3400 metros de Cuzco até os 2400 metros da cidade perdida dos Incas. Este texto não é para os mochileiros adeptos a caminhadas extenuantes, que não se importam de comer mal e dormir em barracas frias, duras e úmidas durantes 4 dias seguidos. O custo de se entrar na trilha inca é de 150-200 dólares por pessoa, incluindo guia, lanches e estrutura de camping.

A alternativa a caminhada da Trilha Inca é ir de trem. A empresa Perurail oferece 3 tipos de transporte até Machu Picchu partindo de Cuzco:

  • Expedition (Backpacker) o mais simples ao custo em torno de 96 dólares;
  • Vistadome com cobertura de vidro no teto a 150 dólares
  • Hiram Bingham trem de luxo operado pela empresa Orient Express (que administra os trens e hotéis mais exclusivos do mundo), ao custo de exatos 588 dólares por pessoa.

Por dentro do Hiram Bingham. Fotos: Liu Yao Wen

Lee escolhendo bebidas no vagão bar do trem Hiram Bingham.

A primeira vista parece um valor exagerado de caro mas se torna barato ao se conhecer o que o preço da passagem inclui:

  • Check-in regado a champagne ou suco de frutas frescas, recepcionados por funcionários corteses e vestidos com uniformes impecáveis. Show folclórico antes do embarque.
  • Poltronas confortáveis, mesas arrumadas e enfeitadas por flores naturais.
  • Vagão bar open-bar com café, chás, refrigerantes, vinhos, espumantes ou destilados e um trio tocando musica ao vivo repertório internacional.
  • Brunch na ida e jantar na volta com menu a la carte.
  • Transporte de ônibus de Águas Calientes(estação de trem) a Machu Picchu ida e volta.
  • Bilhete de entrada a Machu Picchu e visita guiada dentro das ruínas.
  • Chá da tarde no Machu Picchu Santuary Lodge. Após a visita ao complexo arqueológico nada como um descanço num restaurante climatizado com doces e salgados, podendo optar por chás gelados ou quentes e outras bebidas se preferir. Mais importante, você pode usar o banheiro do local: quem não tem acesso ao Lodge tem que esperar para descer até a estação de trem em Águas Calientes, isto significa horas sem banheiro ou alimentação. Outra vantagem é que aguardamos o transporte dentro do restaurante climatizado sentados enquanto que os outros mortais ficam em pé em filas imensas aguardando sua vez de embarcar no ônibus de retorno.

Antes do retorno ao Brasil fizemos uma parada em Lima por um dia. Tempo suficiente para um almoço na Cevicheria La Mar provavelmente a mais conhecida das milhares de cevicherias de Lima e com sucursais em Bogotá, São Paulo, Santiago do Chile, San Francisco, Panamá e Cidade do México. O ceviche é um prato de origem peruano presente em outros países andinos, mas somente lá é considerada prato nacional. Consiste basicamente de peixe marinho de carne branca marinado com suco de limão ou outro cítrico adicionado a outros ingredientes. No Cevichería la Mar experimentamos uma degustação com 5 tipos de ceviches, uma sopa de frutos do mar que vale a viagem a Lima e uma chaufa (risoto de arroz com camarões estilo chinês).

 

Se você tiver um dia ou mais em Lima, recomenda um passeio na Orla Marítma em Miraflores (Bairro de Lima que concentra Hotéis e Shoppings), comer nos chifas (citados anteriormente) além dos restaurantes japoneses com o que há de pescados mais frescos do Pacífico.

Passeio na Orla. Foto: Liu Yao Wen

Equipamento infantil público na orla. Foto: Liu Yao Wen

Orla marítima em Lima. Foto: Liu Yao Wen

Parapentes em Lima. Foto: Liu Yao Wen

Quem pensa em viajar a América Latina provavelmente não sonha em ir ao Peru. Depois desta viagem em busca de uma das sete maravilhas do mundo moderno posso garantir que foi um dos meus destinos preferidos. O Peru oferece atrativos naturais, diversidade étnica , infraestrutura turística mais desenvolvida que a brasileira, culinária de vanguarda para todos os gostos e câmbio muito favorável para quem ganha em Real. Ao invés de visitar Buenos Aires pela enésima vez, se surpreenda e se presenteie: visite o Peru!!!

Umas das surpresas do Peru: gatos vestidos em um telhado em Chinchero…Foto: Liu Yao Wen

Dicas:

São várias as companhias que operam o trecho São Paulo – Lima: TACA, LAN PERU,AEROSUR e TAM

O valor da passagem somente de ida varia em torno de 500 a 750 dólares. O segredo para a viagem sair quase de graça é usar os pontos de milhagem. Usando poucas milhas acumuladas, você pode sair de qualquer aeroporto do Brasil e ir a qualquer cidade da América do Sul, operado pela companhia aérea. Por exemplo, eu usei os meus pontos para sair de Ribeirão Preto-SP a Cuzco no Peru, passando por Guarulhos e Lima. Três vôos usando somente 10 mil pontos de fidelidade, pagando somente as taxas de embarque e aeroportuárias.

Como eu queria conhecer Lima, consegui abrir o trecho de volta Cuzco – Guarulhos, parando um dia em Lima, sem que fosse necessário usar novos pontos de fidelidade ou pagar alguma diferença.

Em Cuzco ficamos no Hotel Torre Dorada, por 90 dólares a diária por casal em quartos limpos e confortáveis. Vendo as fotos do hotel na internet até pode-se acreditar que é bem modesto e afastada do centro. Mas quem teve a experiência de se hospedar lá, usufruiu do que há de melhor em termos de atendimento: Te buscam no aeroporto, orientam e arranjam todos os passeios ao redor de Cuzco, fazem o lanche para quem vai para Machu Picchu, fazem a confirmação e o check-in do vôo de partida e imprimem o ticket. Levam e trazem os hóspedes do centro da cidade a qualquer hora do dia, e acreditem, não cobram nada a mais por isto.

Para o Vale Sagrado dos Incas você pode ir de taxi, ônibus ou de trem até Ollantaytambo. Caso esteja em grupo, recomendo o aluguel de vans. Desta maneira vocês fazem o seu horário e não precisam ficar esperando outras pessoas em todos os passeios, sem contar a vantagem de poder chegar antes ou depois da horda de turistas.

Recomendo a reserva das passagens de trem à Machu Picchu antecipadamente através do site da Perurail. As passagens se esgotam rapidamente durante a alta temporada de turistas.

Em Lima o local de escolha é o Bairro de Miraflores onde se localizam os melhores hotéis, restaurantes e a vista da Orla Marítma é estonteante. Evite os taxis na saída do aeroporto que são pouco confiáveis e muitas vezes sujos, contrate uma condução de empresas especializadas (nos guichês perto da saída), custa um pouco mais caro mas a segurança é o mais importante (aceitam pagamento em cartão de crédito). Procure solicitar taxis dentro do hotel ou nos restaurantes, sempre é mais seguro que pegar um na rua.

Qualquer dúvida sobre este artigo ou outras dicas desta viagem, favor digitá-los nos comentários no final da leitura, terei o maior prazer em responde-los.

Artigos relacionados:

  75 Comentários para “Machu Picchu em 1ª Classe”

Comentários (75)
  1. Algumas pessoas perguntam quando é melhor viajar a Machu Picchu?
    Machu Picchu fica numa região que recebe muitas chuvas no verão, e o período entre Janeiro e março não é aconselhável para sua viagem
    Porque as chuvas são intensas porem aconselhamos viajar nos meses secos.
    A alta temporada vai de maio a setembro, quando chove menos. Dentro desses meses, maio e agosto são os melhores para conhecer o legado inca, já que a probabilidade de precipitação é menor ainda. De dezembro a março chove com frequência, e, nos dias em que chove muito, o parque é fechado. Por isso é aconselhável viajar quando o tempo é mais seco mesmo.
    Ir com o tempo seco ainda evita o incômodo com pernilongos, que pode ser frequente na época de chuvas.
    A temperatura média anual da região está na casa dos 22ºC, e cai quase pela metade à noite, mas no inverno as temperaturas podem chegar a -0ºC.
    Desejo a todos uma ótima viagem!!

  2. Olá , para os que estão pensando em ir ao Perú, gostaria de dizer que a agência que fez tudo para nós, eu e meu namorido, foi a Viagens Machu Picchu (http://viagensmachupicchu.com.br/). A pessoa que nos atendeu o tempo todo e resolveu todos os ingressos tanto em Lima , quanto em Cusco e Machu Picchu , foi o Juvenal. Ele possui pessoas que falam o português e conhece muito todos os lugares. Foi maravilhosa a nossa viagem e inesquecível!!! Posso dar mais dicas para quem quiser mais detalhes de valores , hoteis , estas coisas… ficamos lá de 07/09/2015 à 15/09/2015.

  3. Machu Picchu é simplesmente a atração número um do Peru e talvez da própria América Andina. Desde que a descoberta científica da cidadela inca foi anunciada pelo historiador americano Hiram Bingham em 1911, sua complexa e misteriosa arquitetura encastelada num cenário montanhoso dramático vem atraindo turistas de todo o mundo. sera um prazer compartilhar as nossas dicas visitem nosso web site> http://www.viagensmachupicchu.com.br

  4. Ola. Linda sua viagem.
    Como o post faz tempo nao sei se obterei resposta mas nao custa tentar.
    Vou comprar a ida pelo Hirum e volta pelo Vistadome.Preciso comprar a volta para outro dia bem tarde para poder aproveitar macchu picchu certo? Tenho que comprar separado as hospedagem em aguas calientes? Posso chegar por exemplo 14-05 com o hiram, hospedar a fazer o passeio ao parque no outro dia ou o passeio incluso deles seria para o mesmo dia? Fiquei na duvida pq inclui a entrada mas nao fala a respeito de hrs.
    Obrigado

  5. Ola. Linda sua viagem.
    Como o post faz tempo nao sei se obterei resposta mas nao custa tentar.
    Vou comprar a ida pelo Hirum e volta pelo Vistadome.Preciso comprar a volta para outro dia bem tarde para poder aproveitar macchu picchu certo? Tenho que comprar separado as hospedagem em aguas calientes? Posso chegar por exemplo 14-05 com o hiram, hospedar a fazer o passeio ao parque no outro dia ou o passeio incluso deles seria para o mesmo dia? Fiquei na duvida pq inclui a entrada mas nao fala a respeito de hrs.
    Obrigado

    • Olá Paula.
      Gostaria ajudá-la com a suas dúvidas,
      Como esta tentando viajar no trem Hiram Bingham é recomendável comprar com antecedência por causa das vagas, Maio é temporada alta de turismo.
      e os trens tem que ser comprados separadamente eu aconselho sempre ficar uma noite em Águas Calientes para que ao dia seguinte consiga subir para Machu Picchu bem cedo e aproveitar ao maximo sem presa.

      Caso deseje alguma ajuda para Lima, Cusco, Lago Titicaca e outros destinos fico a sua disposição.
      Att Juvenal Rondan

  6. Olá gente!
    Primeiramente parabenizo pelo trabalho que fiz em ajudar aos brasileiros que desejem conhecer Machu Picchu, quem escreve é um amante da cultura brasileira e graças a deus já teve a sorte de morar no Brasil por um bom tempo, agora voltei ao Peru – Cusco para mostrar a todos os brasileiros que desejem conhecer a terra dos incas.
    Se alguém deseja algumas dicas e recomendações pra a sua viagem, sera tudo um prazer ajuda-los em realizar o sonho de conhecer Machu Picchu Cusco, Lima, Lago titicaca, Arequipa, Nazca, Paracas, Puno, Trujillo e outros destinos que ainda não foram explorados pelo brasileiros.
    http://www.viagensmachupicchu.com.br/

  7. Olá Lio Y L, no trem de Cusco pra Macho P, ouvi uma musica lindissima, não consegui informação dos funcionários, procurei muito…ainda nada…vc se ligou em alguma?
    silvana

  8. Oi, adorei o seu site sobre o Peru, muito legal! Tenho uma dúvida: vc fez o passeio todo sozinho, ou contratou algum serviço de agência?

  9. Olá,
    fiquei com uma dúvida ainda: comprando a passagem do Hiram Bingham pelo site da Peru Rail não preciso comprar o ingresso para Machu Picchu?!
    abs

    • estou indo pela cvc p Machu pichu,qnto custa esse bilhete do trem essa viagem e de qnto tempo e emocionante, tem pessoas q vai oferecer no hotel,onde troca a moeda, preciso levar dólar,la alguém fala o portunhol,nao falo inglês estou um pouco apreensiva alguém pode me ajudar minha i vbiagem e p julho final do mês alguém pode me responder grata.

  10. Muito bom seu blog, adorei. Estarei visitando Macchu Picchu em 20 setembro e gostaria de dicas mais específicas sobre a aclimatização.Uns dizem que é necessário tomar remédio antes mesmo de chegar lá, outros dizem que somente é necessário descansar e que seu corpo se acostuma. Qual a sua dica? e em Macchu Picchu, como funciona? vamos estar lá no amanhecer , mas a visita dura o dia todo ou tem um tempo específico lá dentro? Sobre o dinheiro, dolar é a moeda que levarei , é necessário trocar lá? ou eles aceitam em todos os lugares os dolares?
    abssss

    • o meu maior sonho é visitar o Peru e suas maravilhas, mas o meu medo é da altura e do ar rarefeito, como fazer para não sentí-lo , ir parando em alguns lugares para aclimatar??? ou tomar remédio??? ou a coisa não é tão ruim como dizem, obrigada se me responder.

      • Oi Mercedes, então minha viagem ao Peru foi maravilhosa. Chegamos em Lima de manhã , e é claro já fomos conhecer as praias no bairro Miraflores, lindíssimo. Ficamos 02 dias lá e voamos pra Cusco . Em Lima já começamos a tomar o chá de coca direto que é distribuído nos hotéis e com certeza isso nos ajudou muito. Ao chegar em Cusco logo no aeroporto você já é recepcionado com chá de coca kkkk e essa deve ser sua bebida preferida lá. Algumas pessoas que estavam no grupo que ficou no hotel passou bem mal, mas nós não tivemos nada além de uma vertigem passageira ao subir umas escadas . Se você der tempo ao seu organismo de se aclimatar vai ter uma viagem esplêndida, nós descansamos um pouco antes de sair em cusco e não tomamos remédio nenhum além de um adivil por ter tido dor de cabeça no primeiro dia só isso. De um dia para o outro você já estará aclimatizada . Cusco é um sonho pra quem quer comprar lembrancinhas. Aproveite bem a viagem amiga , vá sem medo e depois me conta tá. Só tenho lindas lembranças de lá . O Peru é lindooooooooooooo

  11. Boa noite Liu! adorei oque li, tenho muita vontade de fazer o passeio que descreveu, porém não tenho experiencia nem uma em viagens; Peru é o primeiro passeio que quero fazer com a minha esposa e um casal de filhos. Se for possível me explique como posso copiar sua viagem desde a troca das milhas para as passagens, contatos com os hotéis, enfim toda orientação que for possível, estamos programando para janeiro de 2014.Meu irmão mora em Ribeirão Preto, é possível que nós iniciemos a viagem por ai. Desde já muito obrigado.

  12. Oi Liu, parabéns pelas dicas! Qual a melhor forma de pagar as contas por lá? Vc experimentou alguma restrição quanto ao uso de cartao de crédito nessa viagem? Ouvir q eles cobram uma percentagem de 12% sobre o uso do cartão!

    Desde logo, agradeço!

    Att.

    Allan.

  13. Parabéns, Liu!! Excelente matéria, recheada de informações e “dicas” de como aproveitar bem a viagem. Belíssimas fotos também. Anotei no meu caderninho de viagem, agora é só embarcar!!

  14. Liu, adoreem i suas fotos, filme e, principalemente seus comentários. Vamos para o Peru em Julho próximo, eu, meu marido e uma amiga nossa. Já mostrei para meu marido. Parabéns, espero que possamos ter imagens tão lindas para recordar. Aliás, o filme sobre o tingimento com sal ficou muito bom, acho que vou ganhar o brinde, se ela ainda estiver por lá…rs. Muito ilustrativo e valem como orientação para passeios.
    Novamente parabéns!

  15. Olá, tudo bom?
    Somos um grupo de seis jovens e vamos fazer essa viagem no mês de Fevereiro. Gostaria muito de saber se vc tem alguma informação sobre como comprar as passagens do TREM DA MORTE antecipadamente, por internet, devido aos problemas encontrados ao tentar comprar na hora. Vc sabe um site confiável para se fazer essa compra?
    Outra coisa, durante a trilha inca, há locais para abrigar barracas (tipo camping), ou se acampa em qualquer local? Se há, isso tem um custo?
    Agradeço pela atenção.
    Cordialmente,
    Bruna Serra.
    PS: adorei esses relatos, ajudam muitíssimo quem está pensando em fazer essa viagem! Vamos montar um assim também quando voltarmos! =]

  16. lindo

  17. Liu,parabéns pelas fotos e texto!
    Estou querendo passar o Natal lá com a família e adorei seus comentários e dicas.

    • Liu.. Td bem??? Adorei o site…
      Estou indo para lima de 2 a 20 de fevereiro de 2013 e gostaria que vc me desse algumas dicas de hoteis em lima em cuzco e machu picchu…. obrigado

  18. Adorei as informações e dicas precisas.
    Estou indo para o Peru no final de julho, irei passar 6 dias, ficarei em Cusco 3 dias e 1 dia Machu Pichu, voltando no mesmo dia p/ Cusco e no último dia no Peru.
    Gostaria de umas dicas sobre:- 1 dia em Machu Pichu, seria melhor, na ida, pernoitar no Hotel Vale Sagrado e no dia seguinte seguir de trem p/ Machu Picchu?
    -O Trem do nosso pacote é o Expedition.,p/ que observei este é o mais simples.Mas como estou viajando c/ toda a família (8 pessoas)talvez seja o mais viável.
    -Também gostaria de saber como é a temperatura neste mês de julho? e que tipo de roupas levar, sapato, botas , casaco?
    -O hotel é o Terra Andina em Cusco e Casa Andina Classic em Lima , são bons, conforme lí no seu blog.
    -Que restaurante você indicaria em Cusco? vou comemorar meu aniversário de 50 anos em Cusco, portanto que uma indicação do melhor restaurante típico.
    Aguardo as dicas e muito obrigada.
    Maria Clara

  19. …Muito bem destrinchado e elaborado…, gostaria de ficar sempre, atualizado cm relação a City Macchu Picchu….grato.

  20. Enviei mensagem anterior e quanto a ela já consegui verificar suas respostas nas várias postagens. Te resumo uma pergunta: se eu comprar passagem no Tem TOP que vcs viajaram para Machu Picchu e depois tiver que vender por falta de confirmaçao de ida será fácil repassar o bilhete de trem? Abs,

    • Prezado, Liu.

      Parabéns pela excelência de suas informações e pela sua generosidade em disponibilizá-las. Pode me dar uma dica? Na ida, qual o melhor lado para se ver as paisagens?

      Grato,

      Tarciso

      • No início da viagem do lado esquerdo, no final do lado direito. O trem inverte o lado do rio. Na minha opinião, tanto faz, cada lado tem seus atrativos. Abraço.

  21. Parabéns pelo site. Foram as melhores informaçoes de minha busca objetivando conhecer o Peru em pouco dias. Pergunto se o passeio a Machu Picchu em trem é possível fazer no mesmo dia. Nao observei relatares nada sobre hotel em ´guas calientes. É possível ir e voltar Cuzco-Machu Picchu em um só dia desfrutando tranquilamente? Nao há mais disponibilidade no site para compra de bilhete no trem mais TOP, sabes se é possível contatar agência que tenha bilhete sempre ou se há fila de espera ou outro meio alternativo para comprar? Em caso negativo qual a situaçao dos demais transportes? Somos 03 pessoas. Observei falares bem do hotel em Cuzco. Como fazer a reserva? Eles provdenciaram o tou pelo vale sagrado ou devo contatar uma empresa com antecedência? Já vês que sao muitas perguntas rsrsrsrs
    É possível fazer 01 dia Cuzco, 01 dia o vale sagradao e 01 dia Machu Picchu? A milhagem da TAM teve como destino final Cuzco com escala em Lima? Bem, já me dirás e acrescente as dicas que julgares. Super obrigada!

  22. boa noite,
    estou indo de lima estou querendo ir a machu picchu e tenho 1 dia pra ir…
    oq vc sugere de meio em conta e que tbm seja rapido…
    amei o blog
    obrigada

    • Heloisa,
      Sinto lhe dizer, mas com somente 1 dia para ir de Lima a Machu Picchu, só de helicóptero. Vc precisa de 1 dia para se aclimatar, Cuzco está acima de 3000m. Saindo cedo de trem, pode passar o dia em Machu Picchu e voltar no mesmo dia. Cheque no site da Perurail os horários e os preços.
      Se você conseguir 3 dias, seria o mínimo ideal, no primeiro vc se aclimata e visita os arredores de Cuzco, no segundo dia vc conhece o vale Sagrado e no terceiro vai a Machu Picchu.
      Boa viagem!!!

  23. Olá,
    Parabéns pelas excelentes dicas, ótimo texto, belas fotos…
    Pretendo ir a Machu Picchu em abril ou maio, é uma boa época?
    Obrigado pela sua ajuda,
    Jeroinmo

    • Jeronimo,

      Obrigado pelo comentário.Sim esta é uma boa época. Não é tão frio nem tão chuvoso. Eu fui em setembro e estava tudo muito seco sem cores.

      • Ola novamente! Eu e minha esposa vamos de 15 a 22/abril. Vamos pelo Hiram Bigham, mas teremos um dia a mais em Machu Picchu. Nosso hotel fica perto do portao do Parque. O que voce sugere neste dia extra para vermos dentro do Parque de Machu Picchu? Vale a pena ir cedo ou sair tarde para ver o nascer ou por do sol? Nossa preocupacao é passarmos o dia inteiro la dentro sem comida, banheiro… No Brasil vendem moeda peruana? Vamos bater belas fotos! Obrigado pela sua ajuda, Jeronimo

  24. Excelente texto. Só me fez deixar com mais água na boca do que já estou. Qndo retornar de minah viagem agora em abril, prometo retornar e e compartilhar minha experiência tb.

    Abçs

  25. Todas essas informações me ajudaram muito. Vc saberia me dizer qual site para comprar as passagens para o trem da morte, gostaria de ir de trem e voltar de avião.

    Obrigada

  26. Amigão! diz aí e o idioma é um problema ou dá pra levar na boa? abraços

    • Alessandro,

      Desde que você não queira se comunicar em Quechua (lingua Inca) com os nativos, não tem o que se preocupar, o português é bem aceito no Peru. Faço como todos os brasileiros na América Latina, fale portunhol que eles vão te entender.

  27. Olá !!!
    Moro em Volta Redonda – RJ e cheguei do Peru no dia 28/09/2011.
    Lendo seu texto, fiz uma nova viagem !!! Adorei !!!
    Visitei quase tudo que você cita (menos Moray e os restaurantes fui em outros), e achei tudo muito lindo !!! A forma como os Peruanos tratam a gente, as comidas, as ruínas, as bebidas: nota 10 !!!
    Realmente o que me surpreendeu em Cusco e Águas Calientes foi a limpeza das ruas. Tudo muito bem cuidado, apesar da quantidade de gente que passa por lá.
    Eu fui para Águas Calientes no Vistadome (já estava incluído no meu pacote de viagem). Não tinha o luxo todo do Hiram Bingham, mas fomos muito bem acomodados e servidos também. O cuidado que o pessoal tem em fazer o serviço é excepcional !!! E a vista pelo teto do trem é maravilhosa !!!
    Na volta da viagem teve desfile de moda (moda andina) dentro do trem, foi muito legal e divertido.
    Foi uma viagem que vou lembrar para sempre !!!

    • Sandra,

      Obrigado pelos comentários e por acrescentar a sua experiência de viagem ao meu artigo. Estas informações vão ajudar os leitores a planejarem melhor sua viagem e reforça a minha percepção que o Peru é um excelente destino turístico.

  28. Olá, estou interessado em ir para Machu Picchu e gostei muito das suas dicas. gostaria de saber quanto se gasta numa vuiagem como a sua, em dólar.

    Grato pela atenção

  29. Muito proveitosa sua viagem e dicas.
    Estamos(03 amigas ) indo dia 16/08/2011 para Cuzco com a intençäo de conhecer mos tudo o que vc nos mostrou em seu relato da viagem. Voltaremos dia 24/08.
    Questiono? como utilizar esse 08 dias para conhecer tudo”?
    Onde pernoitar?
    Lima poderia ficar pra uma proxima viagem? Estamos comprandompassagem direto de Guarulho/Cuzco.
    Dicas, lpor favor…
    Muito obrigada.
    Um gde abço.

    • Maria Rita,
      Se tiverem a sorte de conseguir hospedagem no Terra Dorada: http://www.torredorada.com/
      Chegando ao hotel (eles buscam vcs no aeroporto), a primeira coisa após o check-in é uma reunião em que eles planejam toda a estadia e passeios durante o período que tiverem disponivel. Providenciam os guias e o meio de transporte e explicam como são os passeios. Tive leitores que não conseguiram se hospedar lá mas mesmo assim, o hotel conseguiu os passeios para eles.
      Recomendo que vcs abram a passagem na volta em Lima. Por uma pequena taxa ou dependendo da disponibilidade, sem custo, a companhia permite que se chegue em Lima de manhã e retorne ao Brasil somente no dia seguinte. O suficiente para vcs almoçarem e jantarem um dia lá, vale a pena. Reservem um hotel em Miraflores e passem o dia por lá. No meu relato tem muitas dicas de Cuzco e Lima. Boa viagem!!!

    • Muito obrigada, Liu.

  30. vcs tem alguma dica de operado em Cuzco ou em Lima apra fazer a trilha até machu Pichu ? por aqui fica diícil definir datas e sai bme mais caro.

    obrigado

  31. Hola,
    Estamos no processo de comprar a passagem de trem. Iremos no vistadome (o que chega as 9:50 da manha), a pessoa que esta nos ajudando (trabalha no hotem em Cusco em que vamos ficar hospedado) nos recomendou a comprar a passagem de volta no Expedition que sai `as 16:40 ao inves de comprar no vistadome que sai `as 15:20. O tour guiado nas ruinas eh de 2 horas. Vc acha necessario ficar esse tempinha extra que ganhariamos voltando no Expedition ou sera que eh tempo perdido? Obrigado por sua atencao, Pepe Coronel

    • Caro Pepe,

      Você demorou uma vida inteira para ir para Machu Picchu, portanto cada minuto a mais vale a pena. A visita guiada é muito interessante e se vocês não tiverem tempo de sobra para as fotografias, vão querer fotografar durante a exposição do guia e podem perder muitas informações importantes. Recomendo que façam a visita com calma e depois com as informações do local, façam as fotografias já sabendo do que se tratam. Dependendo do dia e do horário, tem muitas filas para voltar a Águas Calientes de ônibus, portanto, aproveite bem estas 2 horas extras para fazer a visita com muito mais tranquilidade e sem atropelos.

  32. É um belo lugar…

  33. Hola!!!!

    Ja estou com as minhas passagens comprada. Eu e meu marido estamos partindo ao Peru no dia 3 de Setembro e ficaremos la uma semaninha. Ficaremos 4 noites em Cuzco, quase tudo resolvido so uma pequeno duvida em relacao ao trem. Tb estamos querendo ir no Hiram Bingham, andei vendo os sites Perurail so que achei um pouco complicado. Vc poderia me dar alguma dica para que eu va direto ao ponto? Obrigada, Virlliam Chaves

    • Virliam,
      Uma boa época, clima ameno e não é alta estação de férias no hemisfério norte.
      Em relação ao trem, entre no site do Perurail (www.perurail.com), selecione na ordem:
      Machu Picchu (onde vc quer ir), Cuzco-Machu Picchu (rota), a data de ida e retorno, o número de passageiros e finalmente deixe em tipo de trem a busca.
      Coloque em pesquisar e aparecerá os horários de todos os trens do dia. Selecione Hiram Bingham na ida e na volta e termine o processo com o pagto via cartão de crédito. Faça a compra das passagens o mais antecipado possível. O Hiram Bingham tem somente um horário por dia e as passagens acabam rápido. Caso não haja disponibilidade de viajar na ida ou na volta, recomendo pegar a ida no Hiram Bingham (viagem de dia) e voltar em outro mais simples (à noite).
      Boa sorte.

    • Hola,

      Obrigada pela dica. Estamos no site agora mesmo e analisando a melhor opcao. No dia em que buscava, 7 de Setembro, ja nao tem mais. Estamos vendo a opcao de irmos no Hiram Bigham no dia 6 ou 8 e voltarmos no Vistadome para dar uma aliviada no preco. O Hiram Bigham chega `as 12:24 em Machu Pichu, vc acha que o tour em que eles oferecem pode ser visto em 3 hora ja que o Vistadome sai `as 15:20? Ou eh melhor realmente voltar no Hiram Bigham que sai `as 16:20?
      Obrigada, Virlliam

      • Virllian,

        Eu fui e voltei pelo Hiram Bingham. O timing deles é perfeito. É o trem que sai mais tarde e um dos que volta mais cedo. Como está tudo incluso, vale a diferença de preço, sem contar a comodidade e o ótimo atendimento. Vcs não tem que se preocupar com nada.
        Não sei se voltando pelo Vistadome vcs terão direito ao chá da tarde e transporte para a estação de trem pela empresa, ou terão que voltam por conta.
        O importante é que enquanto formam filas imensas para o retorno de ônibus de Machu Picchu a Águas Calientes, quem está no Hiram fica no Lodge tomando chá da tarde (doces, salgados, bibidas quentes e geladas) dentro de ar condicionado e só sai qdo o ônibus chega. Além de poder usar o banheiro do Lodge à vontade.
        Só recomendaria voltar por outro trem se não tiver mesmo diponibilidade de assento ou se vcs forem ficar mais de um dia por lá.
        O vistadome das 15:20hs é impraticável. Vcs tem que pegar o ônibus que desce para Águas Calientes antes (enfrentando fila). Se não tiver jeito pegue um trem mais tarde possível.

        • Muito Obrigada. Eu tb estava achando muito complicado isso, vai num volta em outro. Irei ver o retorno no Hiram mesmo.Muito obrigada pela sua ajuda, tendo mais duvidas entro em contato novamente.

  34. Estou plenejando em ir a Peru em Outubro deste ano. Penso em passar 3 noites em Cuzco. Vc acha que eh tempo suficiente para conhecer tudo o que eu tenho direito?

    Obrigada, Vchaves

    • Virlliam,
      A primeira noite é obrigatória a aclimatação a altitute. Aproveite para conhecer a cidade. O segundo dia pode-se fazer um tour no vale sagrado. Sobra o terceiro dia para ir a Machu Picchu. É possível, mas não é o ideal. Caso a sua aclimatação não seja rápida, pode tomar 2 dias ou mais, todo o seu planejamento acaba inutilizado. Imagine andar no vale sagrado com dores de cabeça ou indisposição intestinal? Planeje a viagem para 4 noites e 5 dias em Cuzco pelo menos.

      • Muito obrigada pelo seu reply. Levarei em consideracao e quitarei um dia em Lima. Agora so me resta resolver se iremos em Setembro ououtubro. Obrigada mais uma vez, Virlliam

  35. Parabéns pela forma como descreveu sua viagem. Dos blog que tenho acessado sobre viagem ao Peru, foi o relato mais completo e objetivo.
    Viajamos pra Cusco em abril e estamos em dúvida qto à reserva de hotel. A princípio fizemos reserva no Terra Andina. Li muitos elogios sobre o Torre Dorada, só que eles não têm como atender a primeira noite da nossa chegada. Estamos em dúvida. Ficamos a primeira noite no Terra Andina e depois mudamos para o Torre Dorada (3 noites)? Estamos indecisos pois na internet nos parece q. o Terra Andina é um bom hotel, mas qto à hospitlidade do q. vcs. ficaram todos os depoimentos são favoráveis. Se puder nos ajudar ficamos gratas.

    Josefa Povh

    • Josefa,

      Obrigado pelos elogios ao artigo Machu Picchu em Primeira Classe, na Entreculturas.
      Suas palavras me incentivam a compartilhar minhas experiências e impressões dos locais onde tive o privilégio de conhecer.

      Não conheci o hotel Terra Andina em Cuzco. Pelo que eu vi sobre ele na internet, realmente é um bom hotel.
      A Torre Dorada não é um simples hotel. É uma experiência de vida. Ao mesmo tempo que é simples, sem luxo, é acolhedor e limpo. Todo o staff parece estar lá para te atender da melhor maneira possível, sempre corteses e prestativos. Eles cuidam de todos os detalhes de sua estada e se antecipam a suas necessidades. Desde o momento que nos buscaram no aeroporto (não precisamos pedir, simplesmente pediram o número e data do vôo e lá estavam no aeroporto nos aguardando), o planejamento dos passeios ao Vale Sagrado e arredores de Cuzco (menos conhecidas que Machu Picchu, mas não menos interessante). Eles te arrumam o transporte (taxi ou van dependendo do número de pessoas) com segurança e simplesmente você tem um motorista particular que te leva e traz do centro a qualquer hora do dia.
      Resumindo, se não estiverem procurando por luxo ou bajulação e sim um lugar confortável e limpo, com pessoas dispostas a te ajudar na estadia em Cuzco, recomendo que vocês tenham a experiência de se hospedar no Torre Dorada.
      No site trip advisor o Terra Andina teve 246 comentários sendo 110 excelentes e 104 bons. O Torre Dorada tem 481 cometários sendo 435 excelente e 33 bons. Você mesma pode tirar as suas conclusões. Eu sempre faço a seguinte escolha: Na dúvida, opte pelo melhor, não necessariamente o mais caro.

  36. Está lindo o seu trabalho, tudo bem descrito, adorei, beijos

  37. Demais!!! Muito Bom!!! Tá dificil acreditar que foi o “chines”meu irmão de fé que escreveu isso; acho que ele mandou alguem escrever por ele.rs.rs.rs.

  38. Oi Tio!!!
    Adorei as fotos!!!
    Parabens!Proxima me leva em!
    Gostei dos gatinhos!!!
    Beijos*
    Dani

  39. Liu parabéns, adorei tudo, principalmente as fotos, “Parapentes em Lima” Nota 10. Abraços

  40. Luís;

    Fiz esta viagem ano passado, fantástica amigo!!
    Abraços!

  41. Fala Liu, parabéns pela matéria realmente após ler sobre peru fiquei com vontade de ir conhecer. Vamos esse ano de novo pra la, preciso de um guia pra bater fotos.
    Abraço

  42. Fantástico! Nem a National Geographic Society faria melhor!

  43. Grande Liu, CULTURA é abase de TUDO. Obrigado por compartilhar essa riqueza conosco. Estendo o reconhecimento também, ao Luis Orlando que criou o meio de disponibilizar esse acesso fácil a ela, através desse site.
    Parabéns a todos e vamos aproveitar !

  44. Caro Liu, o tempo passa e vc não para de nos surpreender. Parabéns pelo texto completo e muito informativo e pelas belíssimas imagens. Espero em breve poder compartilhar pessoalmente em desses passeios “indígenas”.
    Forte abraço.

    • Querido Gibinha,

      Meus programas são para cacique. Programa de índio é ir para São Paulo e ficar preso numa enchente ou no trânsito louco de lá. Você será sempre benvindo nas minhas viagens meu amigo.

  45. Liu, adorei a matéria, ricas em informações importantes, históricas e culturais. As fotos são belíssimas, mas devo dizer que vc poderia ter usado todas as suas próprias fotos, que ficaram lindas e não devem nada a ninguém! Fico muito orgulhosa em ver como vc conseguiu transmitir com seriedade e empolgação esta viagem deliciosa e ainda mais por termos participado dela com vcs! Um beijo carinhoso nosso e sucesso sempre! Francyne e Helio Sergio

    • Querida Fran,
      O ponto alto da ida ao Peru foi a sua companhia e do HS. Vocês são ótimas companhias de viagem. O fato de não postar todas fotos feitas por mim é por 2 razões. Eu ainda estou aprendendo a fotografar e muitas das minhas imagens não exprimem de maneira adequada a situação o que eu descrevo no texto. O editor preferiu publicar fotos tecnicamente melhores e que mostram por si só o esplendor do local. Eu defendo esta opção porque a revista entreculturas não é um blog pessoal meu e sim uma publicação que procura manter um nível elevado de qualidade tanto de conteúdo como no aspecto técnico. Gostaria de agradecer de antemão o Luigi pelo incentivo e oportunidade de poder compatilhar as minhas aventuras com os leitores. Só eu sei o quanto ele foi flexível e compreensivo na hora de escolher as fotos deste artigo.

  46. Liu,
    gostei muito da matéria, repleta de ricos detalhes que nos faz vontade de sair correndo para lá

  47. Oi Liu!
    Lindas fotos! Saudades!

  48. Seu artigo esta bem escrito e ilustrado. Infelizmente a Cuszco que conheci na década de 80 é MUITO diferente desta que você descreve: suja, com um nauseante de odor de gordura animal estragada, pousadas e hotéis idem. A fronha do hotel tinha o mesmo cheiro das ruas, quase não conseguimos comer. Porém a beleza natural de Cuzco, do Vale Sagrado e de Machu Picchu continua a mesma, por vezes estonteante e intrigante como as várias interfaces de pedras gigantes perfeitamente encaixadas em cortes retos e em ângulos variados. Quanto ao barato do mate de coca (analético respiratório), concordo com você: inexiste, mas que dá um alívio a falta de oxigênio para respirar na altitude, isso dá.

    • Mestre,
      Recomendo que retorne ao Peru. Se não para reviver as belezas incas, vá lá para conhecer a gastronomia que por si só já vale a viagem. Não citei por falta de espaço, mas o Peru produz vinhos muito bons também. Pelas fotos você pode comprovar a organização e o capricho dos Peruanos para com o bem público, é impressionante, mas o que mais me chamou a atenção foi a limpeza e cuidados dos locais que eu visitei.

 Escreva um comentário

(requerido)

(requerido)

Você pode usar estas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>