mar 172011
 
DUALISMO

Teu rosto é claro se meu sonho é escuro,
só vens me visitar quando não quero,
andas perdido quando te procuro,
se mais confio em ti mais desespero,
se buscas o passado sou futuro,
Se dizes a verdade és insincero,
se temo tua face estou seguro,
se chegas ao encontro não te espero.
Bem sei que em nosso olhar refulge o nada,
que somos, afinal, a negação
mais funda, mais sombria e desolada.
Como lograr, meu Deus, reparação,
enquanto segues longe pela estrada,
de nossa irreparável solidão?

Marco Lucchesi

Artigos relacionados:

  2 Comentários para “Marco Lucchesi: Dualismo”

Comentários (2)
  1. neste planeta onde ondas gigantes transformam mundos em submundos e viceversa. Wakmeyé e Katamyé buscam o equilíbrio girando,girando,cantando e dançando e sendo um com o mistério.Girando,girando. Está em tudo então?

  2. O Marco Lucchesi, penso, se tornará mais conhecido agora que acabou de ser eleito para a Academia Brasileira de Letras. Parece se tratar de um mais um bom poeta da geração contemporânea, como Antônio Cícero e Eucanaã Ferraz aqui já representados.

 Escreva um comentário

(requerido)

(requerido)

Você pode usar estas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>