mar 162012
 
Por Luigi Rotelli

Ainda há muito a ser tratado em composição. Mas os conceitos mais evoluídos de composição tem uma relação íntima com luz e foco, como você pode ver na resenha que fiz do trabalho de Peter Scott Eide, que é, em si, uma aula extra sobre composição e uma prévia do que iremos analisar mais adiante no curso em uma abordagem inédita sobre a estética da composição fotográfica. Mas não há como chegar lá sem conhecer um pouco sobre equipamentos.

Equipamento é importante?

Galen Rowell, um dos mais famosos fotógrafos da atualidade, afirmou: “Noventa por cento dos melhores trabalhos de minha vida foram feitos com um corpo manual, uma lente de 24mm e uma tele zoom na faixa de 80-200mm.

Não é preciso ter os equipamentos de última geração e gastar uma fortuna para fazer boas fotos. A maioria dos grandes fotógrafos trabalhou com equipamentos bem mais simples que os de hoje.

Basta ver outro ótimo exemplo: as excepcionais super macros de Thomas Shaham, feitas com uma Pentax antiga e uma lente grande angular invertida com extensores e foles e um difusor de flash improvisado com caixa de cereais e fita adesiva.

Mas há que se compreender que na era do filme as coisas eram ligeiramente diferentes. Os elementos mais importantes do processo fotográfico eram o fotógrafo,  a lente, o filme e a revelação em laboratório. O corpo da câmera podia ser simples e inteiramente manual.

O fotógrafo e a lente continuam igualmente importantes, mas os filmes – e existiam filmes realmente muito bons – foram substituídos pelo sensores digitais, um processador especializado de imagem e todo o aparato eletrônico que o cerca. Resultado: o corpo da câmera não dá mais para ser algo simples, pois o sensor, o processador e o algoritmo de processamento da imagem tem que ser muito bons – eles são os substitutos dos filmes no registro da luz e, em parte, do laboratório, pois uma boa foto não necessita de quase nenhum pós processamento.

Então a resposta à pergunta é : sim, o equipamento é importante e deve ser bem escolhido, especialmente para que ele te dê controle sobre o ato de fotografar – não pode ser um equipamento automatizado que seja difícil de trabalhar em modo manual ou semi automático, pois a peça fundamental continua a ser aquela que fica segurando a câmera e apertando os botões.

Até pouco tempo atrás existiam no mercado basicamente apenas 2 tipos de câmeras digitais: câmeras de bater foto e câmeras de fotografar.

Uma Nikon D3 de 12 megapíxels e atrás uma compacta Nikon Coolpix S8000 de 14 megapíxels.

Câmeras Compactas Aponte e Dispare (Point-and-Shoot digital cameras)

As compactas do tipo Aponte e Dispare (Point and Shoot), usadas pela grande maioria das pessoas, categoria na qual se enquadram as câmeras de celulares, tem a vantagem de serem mais baratas, pequenas e leves, podem ser carregadas para todo lado, tem sensores de alta resolução e uma lente zoom de grande alcance (5x até 20x) que fazem de tudo, até foto macro.

Totalmente automáticas, basta apontar e apertar um botão, não exigem qualquer conhecimento de fotografia. Não obstante permitirem uma limitada interferência do fotógrafo, pode-se dizer que foram desenhadas para tirar fotos, não para fotografar realmente.

A alta resolução de seus sensores não significam necessariamente uma alta qualidade de foto. Diversos fatores contam para isso: o reduzido tamanho do sensor, com elevado nível de ruído de fundo, a baixa qualidade das lentes, a falta de regulagens que permitam ao fotógrafo intervir na foto e a falta de um visor dedicado (o enquadramento é feito na tela de LCD, o que só é uma boa opção quando você fotografa pessoas, para não perder o contato com os olhos).

De fato, o sensor de uma câmera compacta tem uma área de aproximadamente 25 mm² na maioria dos modelos. Comparado com o sensor de uma DSLR full frame, que tem área de 864 mm², ou uma câmera de médio formato, cujo sensor tem área de 1.977 mm², não há como ignorar que não existe milagre na engenharia. Você ganha em portabilidade e perde em qualidade. As câmeras profissionais não tem sensores grandes sem razão. Vou explicar mais adiante como o tamanho do sensor afeta a qualidade de imagem.

Câmeras compacta com resolução até mais alta que uma DSLR não conseguem chegar nem próximo da qualidade dela. Abaixo, a comparação de uma seção ampliada em 1:1 das imagens de um mesmo objeto, captada por duas câmeras, uma compacta e uma DSLR, de um mesmo fabricante. Dessa forma, não há a desculpa que uma marca é melhor que a outra.

Trata-se da seção ampliada de imagens tirada nas mesmas condições por uma câmera compacta Nikon Coolpix S8000, de 14 megapixels, lançada em 2010, comparada com uma DSLR Nikon D3, de 12 megapíxels,  lançada em 2007, 3 gerações antes da outra, o que em tecnologia é uma diferença gigante. Veja com seus próprios olhos a diferença. A Nikon Coolpix S8000, apesar de ser uma câmera com resolução mais alta e sensor mais moderno, produziu esse borrão ininteligível comparada com a imagem da Nikon D3.

À esquerda, a imagem da Nikon Coolpix S8000 e essa à direita, a imagem da Nikon D3, ambas tiradas da mesma distância, em ISO 3200, nas mesmas condições de luz. Fonte: www.dpreview.com

A Coolpix tem um sensor de 25 mm² e a D3 tem um sensor de 864 mm². Esta aí a diferença. Agora você sabe uma das razões, entre muitas outras, porque uma custa 10 vezes mais que a outra.

Algumas das câmeras compactas possuem regulagem de abertura, tempo de exposição, balanço de branco e ISO. Mas normalmente nessas câmeras as opções ficam escondidas em menus aninhados na tela digital, limitando o uso prático na hora de fotografar, pois você perde um tempo precioso escolhendo opções em menus.

Também são extremamente lentas para ligar, para focar e para disparar. Quem está acostumado com uma câmera profissional perde todos os lances, pois o tempo de resposta é bastante diferente de uma simples câmera de filme manual que é instantânea, ou de uma câmera profissional digital que é tão rápida quanto uma câmera de filme.

As câmeras compactas podem ser um começo, mas se você pretende evoluir realmente na fotografia deve considerar que elas não foram desenhadas para essa finalidade e no futuro você terá que trocar de câmera.

Câmeras Reflex com Lentes Intercambiáveis – DSLRs

Nas câmeras de lentes intercambiáveis com visão por espelho (DSLR – Digital Single-Lens Reflex) a imagem que passa através da lente é refletida por um espelho até um visor. Isso significa que você enquadra a imagem olhando no visor óptico e quando você dispara a foto o espelho sobe para a luz poder atingir o sensor.

Porque o visor óptico é importante? Primeiro porque em uma cena noturna, que exija exposição longa, fica difícil enxergar algo no LCD. E a mesma coisa acontece em sol forte, quando o LCD fica sem contraste. O visor óptico não tem esse problema.

Segundo, seu campo visual fica restrito ao que você está vendo através da lente, o que é melhor para a composição, exceto talvez em fotos de pessoas, quando você precisa manter contato visual com os olhos da pessoa. Mas nesse caso em várias DSLRs é possível escolher se você quer ver a imagem no visor ou no LCD (recurso chamado de Live View).

As DSLRs são encontradas em vários sabores:

  • conforme a qualidade: em amadoras, semi-profissionais, profissionais;
  • conforme formato: em DX (24x16mm, também chamado APS-C), FX (36x24mm, tamanho equivalente ao filme de 35mm) e câmeras de médio formato com sensores maiores que 40mm (para fotos de altíssima qualidade e resolução acima de 40 megapixels).

Mas a grande vantagem das DSLRs é a possibilidade de trocar lentes.

Coleção de lentes da Canon

Isso permite usar lentes específicas para cada situação, de ultra grande angular até poderosas teleobjetivas, lentes tilt and shift para arquitetura, fisheye para fotos de 180°, lentes macros para fotos 1:1, lentes fixas de alta qualidade e boa luminosidade e lentes zoom. Também é possível usar teleconversores, filtros e  extensores (para fazer supermacros, por exemplo) e uma infinidade de acessórios e adaptadores para fotos especializadas.

A outra vantagem é o maior tamanho dos sensores, que conseguem captar mais luz e por isso tem uma relação entre sinal e nível de ruído melhor, permitindo uma grande amplitude de ISOs (atualmente ISO 204.800).

E a vantagem definitiva das DSLRs é permitir o total controle da fotografia pelo fotógrafo. Você ajusta todos os parâmetros de tempo de exposição, abertura, escolhe o tipo de fotometria (pontual, balanceada ao centro, matricial), foco seletivo em qualquer situação, sensibilidade (ISO), temperatura de cor (balanço de branco), flash com medição de luz matricial, etc, etc. Tudo isso é feito de forma muito rápida, um botão para cada coisa, sem precisar de entrar em qualquer menu.

Mochila carregada de equipamentos

Para não me estender muito, pois haverá uma aula só sobre DSLRs, elas têm todas as vantagens do mundo, permitem fotos da melhor qualidade imaginável, são rápidas no gatilho e têm somente uma única desvantagem: são grandes e pesadas. O corpo da câmera já é pesado e o equipamento todo, com tripé, várias lentes, Flash, brackets para foto macro, tudo isso pesa e muito. Meu equipamento todo na mochila pesa mais de 8 kilos. A mochila deve ter ajuste lombar para transferência de peso para as pernas, caso contrário ela jogará a carga toda na coluna.

Não há problemas em levar esse tipo de equipamento quando o objetivo da viagem é fotografar. Mas há situações, como em viagens de turismo, ou quando se parte em uma trilha subindo montanhas, ou em longas jornadas de bike, em que todo fotógrafo sonha com uma câmera que lhe dê total controle da fotografia, com todas as opções à mão, que possa trocar lentes, que tenha foco e disparador ultra rápido, que tenha visor dedicado, mas que seja levinha e compacta.

Pois há poucos anos, mais especificamente em 2008, um tipo especial de câmeras digitais surgiu no mercado. São as câmeras mirrorless (sem espelho), que são levíssimas, pequenas, portáteis, permitem trocar as lentes – e têm lentes de alta qualidade (até mesmo da Leica) e tem um visor dedicado, ainda que seja eletrônico. No começo elas não eram muito boas, mas passados quatro anos elas evoluíram até um ponto interessantíssimo. Elas são o tema dessa aula.

Câmeras sem espelho (Mirrorless) com lentes intercambiáveis

Combinando o tamanho de uma câmera compacta com o poder de uma DSLR com lentes intercambiáveis, as câmeras Mirrorless são uma opção leve para os fotógrafos, seja para fotojornalismo, fotografia de natureza em alpinismo, montanhismo e ciclismo, onde o peso e o tamanho de uma DSLR dificultam o esporte. Em viagem turística uma mirrorless é um convite a levá-las aonde for. Não consigo imaginar algo mais adequado para turismo.

A diferença de tamanho das Câmeras

A diferença de tamanho entre uma DSLR e uma mirrorless da Pentax

Como os engenheiros conseguiram reduzir o tamanho?

Em uma DSLR, o espelho fica posicionado em um ângulo de 45° para refletir a luz que chega através da lente em um pentaprisma, que a transmite ao visor. O pentaprisma corrige a imagem invertida feita pela lente para a posição correta no visor.

Todo esse mecanismo ocupa muito espaço. O que basicamente os engenheiros fizeram foi retirar todo esse mecanismo.

Como o plano da imagem agora tem que ser formada em uma distância menor, pois a lente está mais próxima ao sensor, as lentes também puderam encolher em tamanho e ficaram mais simples, com menos elementos internos, reduzindo consideravelmente o peso.

Com a retirada do espelho, elas também se livraram de dois problemas das DSLRs: a vibração causada pelo movimento do espelho quando fecha para deixar a luz passar para o sensor (que pode afetar a nitidez da imagem) e o blackout de espelho, que acontece do instante que você clica até o fim da exposição. Em uma DSLR, se uma exposição dura 20 segundos, o visor fica escuro todo este tempo. Em uma mirrorless você visualiza a imagem o tempo todo.

Portabilidade

Uma DSLR é realmente um trambolho em determinadas situações. Quem tem uma sabe. Embora as câmeras mirrorless não sejam câmeras de bolso, elas são muito menores e mais leves do que uma DSLR. As lentes também são pequenas e levíssimas, o que significa que todo o equipamento fica muito mais leve e compacto, perfeito para viagens de turismo, trilhas, montanhismo, para andar de bicicleta ou simplesmente para fotografar uma festa de família.

Mirrorless ao lado de um IPhone

A DSLR é melhor aproveitada em situações específicas de fotografia, de alta qualidade, em estúdio, em fotos profissionais de moda, casamento ou em fotografia de natureza, quando você sai com o único objetivo de fotografar e precisa de fotos com a melhor qualidade possível.

Embora não seja minha área, eu me arrisco a dizer que em fotojornalismo, seja para mídia em papel ou internet, uma mirrorless me parece uma opção muito mais lógica pela portabilidade, preço e qualidade suficiente para o trabalho, com fotos viáveis em ISOs bastante altas.

O tamanho do Sensor e a Qualidade da imagem

A qualidade da imagem não está ligada ao nº de pixels, mas ao tamanho dos pixels e sua sensibilidade de captar a luz, chamada de relação sinal/ruído (s/n ratio ou signal to noise ratio). Sean Arbabi, um fotógrafo profissional, escreveu um corolário interessante: “Matemática raramente muda, independente do meio. Quanto maior o sensor você tiver em sua câmera, mais detalhe, menos ruído e uma qualidade de imagem superior você irá obter.”

Comparando uma mesma tecnologia (CCD ou CMOS), quanto maior o tamanho do píxel, maior é sua área de coleta de luz, mais fótons ele consegue captar em um dado instante e portanto mais forte é o sinal em comparação ao ruído de fundo que existe em qualquer equipamento eletrônico. Consequentemente, a relação entre sinal e ruído é mais alta, o que se traduz em uma imagem melhor e a habilidade de usar asas maiores enquanto mantém a qualidade da imagem. E boa parte das melhores fotos são feitas em condições de luz menos intensa, quando o contraste é mais suave, sempre desafiando a relação sinal/ruído dos sensores.

O ruído é como a granulação antigamente quando usávamos filmes de ISO 400 para cima. Uma superfície lisa aparece como granulada em uma imagem com ruído elevado e pode degradar significativamente uma imagem, como vocês viram lá atrás na comparação que fiz entre a Nikon D3 e a Coolpix. Sensores com alta relação sinal/ruído tem muito pouco ruído visível em ISOs baixas. Os ruídos começam a aparecer em ISO mais alta.

Em uma câmera compacta de 16 milhões de píxels, todos os pixels ocupam uma área de apenas 25mm². São pixels realmente muito pequenos e bem compactados comparados a uma DSLR FX, onde a mesma quantidade de pixels ocupa uma área de 864mm².

A área do sensor tem a ver com a eficiência em captar luz. Em um sensor pequeno, muitos dos detalhes e nuances são perdidos, especialmente em condições de baixa luminosidade. Em asa 200 para cima já começam a aparecer os sintomas.

Comparação de tamanho de sensores. Os sensores das câmeras Mirrorless são geralmente Micro Four Thirds ou APS-C (Standard)

Esse é um dos compromissos mais interessantes das  Mirrorless Interchangeable Lens Camera (MILCs): a despeito do tamanho reduzido delas, o sensor delas é grande. O sensor das câmeras mirrorless geralmente é do tamanho chamado micro four thirds, o que se traduz em 225mm², uma área dez vezes maior que os 25mm² dos sensores de câmeras compactas. Algumas câmeras mirrorless tem sensores menores, como a Pentax Q (6.16 x 4.62 mm), o que é uma desvantagem, mas outras tem sensores do mesmo tamanho de uma DSLR DX (APS-C), de 23,6 x 15,7 mm (370 mm²), como a Sony NEX- 7: o mesmo tamanho de sensor usado em câmeras como a Nikon D300 e ligeiramente maiores que de uma Canon EOS 7D. Isso significa um compromisso de qualidade e portabilidade fantástico, pois ela é quase do tamanho de uma câmera compacta, mas com uma qualidade muito mais próxima de uma câmera de alto nível.

Lentes Intercambiáveis

A grande vantagem de uma câmera com lente intercambiável é o princípio da especialização. Diferentes das câmeras compactas, as Mirrorless permitem trocar as lentes.

Lentes intercambiáveis de uma pequena Mirrorless da Nikon

Uma lente superzoom, de 10x, bastante comum em câmeras compactas, não faz nenhum trabalho direito, nem como grande angular nem como teleobjetiva, produzindo imagens com alta distorção e pouca nitidez comparada a uma lente especializada em apenas uma tarefa.

Quando queremos fazer uma foto macro, usamos uma lente macro de alta qualidade. Quando fotografamos animais selvagens, usamos longas teleobjetivas. E para paisagens amplas, usamos lentes ultra-grande angulares.

De lentes olhos de peixe a super teleobjetivas, com todos os recursos e filtros, as câmeras mirrorless trazem esse universo de lentes intercambiáveis para o mundo da câmera compacta.

Uma lente de 600mm de uma DSLR pesa mais de 5 Kg e é imensa como um telescópio. Você já deve ter visto esses fotógrafos esportivos na beira do campo de futebol com super teles de 300 a 1200 mm:

Bem, morram de inveja, em uma Mirrorless, as lentes são levinhas. Uma lente de 600mm pesa 430g e cabe no bolso do casaco.

Devido a curta distância entre a montagem da lente e o sensor, é possível usar seu legado de lentes na câmera mirrorless através de adaptadores. Nesse caso, o adaptador irá cobrir a distância que antes existia com o espelho até o ponto focal. Muitos usuários aproveitam essa vantagem para usar lentes Leica em suas câmeras mirrorless.

Estabilização

Via de regra, quando estamos com a câmera na mão, fora do tripé, regulamos a velocidade mínima de obturador de acordo com o comprimento focal da lente. Isso se deve ao ângulo de visão da lente e a nossa capacidade de segurar a câmera sem tremer. Se usamos uma tele de 200mm, a velocidade mínima de obturador deve ser regulada para 1/200 s. Qualquer velocidade abaixo disso você terá que usar tripé se não quiser a imagem tremida. Mas se usamos uma grande angular de 24mm, podemos tirar uma foto muito mais lenta, de 1/24 s.

Estabilização avançada em 5 eixos de uma mirrorless da Olympus no próprio corpo da câmera.

O recurso de estabilizar a imagem para prevenir o tremor de segurar a câmera na mão serve para abaixar essa velocidade. Em tese, com estabilização podemos usar uma lente de 200mm com velocidade de até 1/25 s.

Na maioria das câmeras compactas e baratas a estabilização de imagem é eletrônica. Estabilização eletrônica é inferior em todos os sentidos e não vale a pena discorrer sobre ela. Não é à-toa que só é usada em câmeras baratas.

A estabilização real, que funciona de fato, é feita de duas formas: na lente ou no sensor.

  • A estabilização óptica é baseada na lente. Funciona com elementos flutuantes que se movem ortogonalmente ao eixo óptico da lente usando eletromagnetismo. A vibração é detectada usando sensores giroscópicos, um para detectar movimentos horizontais e outro para movimentos verticais. A flutuação se contrapõe a vibração, estabilizando a imagem. Esse tipo de estabilização é mais apropriada para lentes teleobjetivas e DSLRs, pois o fotógrafo vê a imagem estabilizada através da lente. A desvantagem é o alto preço da lente e o maior consumo de bateria.
  • A estabilização mecânica acontece no próprio corpo da câmera e faz o sensor se mover contrapondo-se ao movimento da câmera. A vantagem é que todas as lentes ficam estabilizadas nesse método. A desvantagem em uma câmera com espelho é que o sensor enxergaria a imagem estabilizada mas você veria no visor a imagem tremida. Na câmera sem espelho, você enxerga a imagem estabilizada pelo sensor.

Importa saber que tanto as grandes DSLRs como as Mirrorless tem estabilização óptica ou mecânica, dependendo do fabricante.  O cenário é quase o mesmo, com uma vantagem para a estabilização da lente nas DSLRs e da estabilização do sensor nas câmeras sem espelho.

O exemplo abaixo mostra a estabilização mecânica da Olympus OM-D E-M5 em foto e em filmagem Full HD. Uma super Mirrorless, com estabilização em 5 eixos:

No universo das Mirrorless, Olympus, Pentax e Samsung optaram por estabilização mecânica, no próprio corpo da câmera. Ou seja, a estabilização funciona com todas as lentes. Nikon, Sony e Panasonic optaram por estabilização óptica na lente, oferecendo algumas lentes zoom estabilizadas e deixando as normais e grande angulares sem estabilização.

Performance de Autofoco e Atraso no Obturador

As DSLRs usam um sistema de foco mais rápico, chamado de detecção de fase. As câmeras sem espelho não tem como usar esse sistema. Em condições de alta luz, com bom contraste, o sistema usado pelas câmeras sem espelho é até mais rápido que o das DSLRs, mas em todas as outras situações de luz, a vantagem é para o sistema das DSLRs.

Reconhecimento Facial

Porém, algumas câmeras sem espelho já conseguiram evoluir a tecnologia de contraste com resultados excepcionais, complementando-a com outra tecnologia de detecção de movimento analisando a imagem com uma frequência de 240 fps para prever o foco em movimento. O reconhecimento facial é uma tecnologia inerente à detecção pelo contraste, uma vantagem interessante.

Além do tempo de foco, com o botão pressionado pela metade, depois do foco travado há o tempo de resposta entre apertar o botão e disparar o obturador. Esse tempo total de focar e disparar pode demorar até 1 segundo em uma câmera barata ou apenas 30 milisegundos em uma câmera profissional desenhada para fotógrafos esportivos.

Quando me colocam uma câmera compacta na mão, me pedindo para tirar uma foto em um aniversário, eu simplesmente não consigo fotografar crianças, porque a câmera é tão lenta que quando finalmente o disparo acontece a ação já aconteceu. Ao usar flash e o redutor de olho vermelho daí a câmera fica tão lenta que você aperta, vai dar uma volta e só depois a câmera dispara. Parece um timer.

Há uma câmera mirrorless em especial, da Olympus, que é extremamente rápida no gatilho e trabalha em velocidade recorde de 29ms,  batendo DSLRs top de linha nesse requisito.

Fotografia em RAW x JPG

As camêras compactas fornecem apenas imagens compactadas em JPG, o que limita bastante o pós processamento das imagens. As DSLRs, mais profissionais, oferecem uma outra forma de salvar o arquivo descompactado. Chama-se RAW, que em inglês significa bruto, em estado natural, sem processamento ou compressão. Os arquivos RAW são 10 a 20 vezes maiores que os JPGs, mas com uma qualidade muito superior, sem artefatos de compressão e uma enorme flexibilidade de ajuste em pós processamento depois, permitindo alterar no computador todos os parâmetros da câmera como balanço de branco, exposição, contraste, sharpness, saturação e proteção de sombra e de alta luz.

Fotógrafos profissionais só fotografam em RAW, pois o resultado é muito superior, não há discussão. A profundidade de cor é maior (36 bits ou 48 bits contra 24bits de um JPG) e o alcance dinâmico maior, o que significa que o formato RAW apresenta mais detalhes em sombra e alta luz que um formato JPG. Mas há um conhecimento fundamental que eu preciso passar para vocês em outra oportunidade sobre como fazer o pós-processamento em RAW, senão suas fotos vão parecer chochas em uma primeira vista. Vou montar uma aula mais adiante só disso: o segredo de obter bons resultados em RAW sem ficar sofrendo com Photoshop ou LightRoom.

Bem, como todas as boas DSLRs, as camêras Mirrorless também permitem a opção de salvar em RAW ou JPG, o que é um ganho extraordinário comparado às câmeras “aponte e dispare”.

Duração da Bateria

Como as câmeras sem espelho não tem o visor óptico como as DSLRs, algumas tem apenas o painel de LCD, outras tem o visor eletrônico dedicado, isso significa que elas tem que funcionar em modo live view o tempo todo (visualização eletrônica em tempo real). Evidentemente elas consomem mais bateria por isso, conseguindo menos fotos por carga do que uma DSLR. Portanto, é preciso levar algumas baterias extras quando sair a campo ou em viagens.

HD Vídeo

Uma camcorder amadora, de U$500 e uma filmadora profissional de U$5000

Todas as câmeras mirrorless com lentes intercambiáveis são capazes de fazer filmes em 1080 full HD com uma qualidade superior às câmeras camcorders amadoras. Começa pelo tamanho do sensor, muito maior que o das camcorders na faixa de até dois mil dólares. E depois tem a habilidade de trocar as lentes, que só as filmadoras profissionais têm. Além do mais, as lentes das câmeras fotográficas são de melhor qualidade e mais luminosas que as das camcorders. Assim, elas substituem perfeitamente uma filmadora semi-profissional e você pode levar em um só equipamento: uma câmera fotográfica de verdade, inteiramente regulável e uma filmadora full hd semi-profissional, com estabilização de imagem, tudo isso em uma pequena, leve, portátil e linda câmera.

Veja um exemplo:

A escolha

Em resumo, com uma câmera mirrorless, um fotógrafo amador avançado pode ter, dependendo da escolha que fizer, uma ótima câmera ou uma ótima segunda câmera. Elas custam na faixa de 800 a 1100 dólares, o preço de uma DSLR amadora. Mas qual escolher? Qual o melhor custo benefício? Qual irá oferecer mais recursos? Responder isso não é simples e com o mercado sempre cambiante, vou postar em separado uma comparação entre as duas câmeras mirrorless mais interessantes do momento e dar minha opinião:

Olympus OM-D EM-5 versus Sony NEX-7

 

Cadastre seu email para receber notícias das próximas aulas:

 

Artigos relacionados:

  83 Comentários para “Curso de Fotografia: Equipamentos – Câmeras Sem Espelho”

Comentários (82) Pingbacks (1)
  1. Luigi,
    Primeiramente, parabéns pelo seu trabalho. Realmente incrível.

    Tenho uma Nikon AW1 e, honestamente, sou apaixonado por essa máquina, por ser também apaixonado por esporte. A pegada dela para esse mundo aventureiro é muito interessante. Porém, estou próximo de comprar duas lentes e gostaria de saber sua opinião sobre elas. Poderia me ajudar? As lentes são essas:
    1 NIKKOR VR 10-100mm f/4-5.6 e 1 NIKKOR 18.5mm f/1.8
    Desde já, obrigado.

  2. Olá?
    Tenho uma máquina não digital Marca Zenit, com lentes intercambiaveis, contudo quase não usei ficando guardada por muito tempo. Recentemente quis usá-la e não consegui tirar fotos pois todas ficaram queimadas, coloqueis novo rolo de 24 poses e mais uma vez não obtive nenhuma fotografia. O que poderia estar causando esse problema. Estaria eu fazendo algo errado. Não tenho o manual original mas baixei um da internet, só que inglês. Ela está guardada no momento e não sei exatamente se é XT ou algo assim. Agradeço um retorno em OFF via email, se possível!

  3. Olá Luigi,gosto de fotografia não tenho tido,tempo para tirar um curso para poder rentabilizar o Material que tenho,tenho uma sony nex5n ,com obejetiva E 3-5-5.6 18,55 +uma nikon D7000 com objectiva 18 -105 +uma sony DSC-H50V , mas minha viagens ( quando vou gosto de fotografar tudo o que acho belo,muitas das vezes opto por uma maquina mais leve como a nex 5n, mas gostava de ter uma lente grande angular)pois determinados edificios nao os apanho todo,as opiniões divergem gostava de saber a sua opiniao se uma lente de 16mm F2.8 vale a pena em relação a 18 55, ou se deva comprar uma grande angulara para a nikon D700 ,obrigado

  4. Luigi,

    Parabéns pelo excelente material que você produz! E muito obrigado!
    Sou novo em fotografia. Tenho uma Nikon P510. O que eu gosto mais é de fotografar natureza. Pássaros, paisagens e algumas macros, principalmente. Poderia me indicar algum equipamento para esse fim, com valor em torno de até R$5.000,00?

  5. Gostei muito do comparativo entre a Olympus OM-D EM5 e a Sony Next-7 e fiquei super entusiasmada! Porém, quando vi o preço de qualquer uma das duas, fiquei gelada! O que pergunto é: que máquina mirrorless + lente compatível comprar para fotografar desporto, até 600 euros? Queria um conjunto leve no peso e no preço, para fotografar ao longe, em movimento, por vezes com pouca luz. Sugere-me algo?

  6. Estou para viajar em março para Índia, e preciso de uma câmera compacta com sensor grande,(Este tipo de câmera tem zoom maior) para tirar fotos em ambiente escuro. Só tenho 1.200,00 para gastar. Qual sua indicação? Obrigada

  7. Muito obrigado Luigi. Tirou-me uma série de dúvidas quanto ao entendimento das câmeras digitais que por terem uma opção “auto” tornam o clicador quase um elemento dispensável.

  8. MUITO LEGAL,FORMA SIMPLES DE COMUNICAR,É BOM QUE O LEITOR PRESTE BEM ATENÇÃO NO QUE ESTÁ LENDO,POIS NOS ENTRE LINHAS,TEM DICAS ATÉ MESMO PARA. LEIA COM ATENÇÃO
    GOSTEI MUITO.
    SOU PROFISSIONAL DE FOTOS DE DANÇA- FACE- RUY CORREA.
    ATÉ…

  9. Minha máquina é uma nikon coolpix p510, qual a sua opinião a respeito. Muito grata.

  10. Encontrei esse curso de fotografia na internet e fiquei maravilhada, sou apenas uma amadora que adora fotografar, Vc não imagina o quanto me foi esclarecedora essas
    informações.Muuuuuuito grata.

  11. gostaria de receber esplicaçao no meu emal

  12. Cara to qurendo comprar uma camera semi e gostei muio da NEX-F3K da sony, porem quero ir fotografar na copa, resumindo o zoom dela da p pegar da arquibancada ao centro de campo, ja que a mesma peca nos zoom.sds

  13. Parabéns pelo site!Muito interessante o curso de fotografia.

  14. Prezado Luigi Rotelli
    Parabéns. Muito esclarecedora sua exposição. Se possível, uma opinião. Entre uma “”sem espelho” das analisadas e a D 7100, qual? Qual a resolução das “sem espelho”, 72 ppi ou 300ppi? Sou amador, mas gostaria de imprimir as fotos com dimensões utilizadas em exposições.
    Agradeço antecipadamente à atenção.
    Rivaldo Mafra

    • Caro Rivaldo,
      A resolução depende do modelo, mas geralmente está entre 16 a 24 megapíxels.
      Uma câmera de 24 megapíxels tem um tamanho de imagem de 6000×4000 pixels
      DPI é a densidade de pixels por polegada. A tela do computador tem 72 píxels por polegada. Então no computador a imagem vai aparecer com 6.000/72 de largura x 4.000/72 de altura = 83,33 pol x 55,55 pol =~ 211 cm x 141 cm. Ou seja, vai ficar gigantesca na tela do computador.
      No papel. a impressão normalmente é feita com uma densidade de 300 dpi. Traduzindo em tamanho, uma imagem de 24 megapíxel terá no papel um tamanho original de 50,8 x 33,85 cm. Esse é um tamanho bom de exposição. É possível fazer ampliações maiores usando uma densidade menor de DPI. O resultado vai depender da distância do observador.
      Abração,
      Luigi

  15. Primeiramente parabéns. Gostaria de saber como devo proceder para obter o efeito Mirror (Espelho) com minha filmadora HDR-CX 580V Sony. No manual não costa este efeito, teria a possibilidade de colocar um filtro ou formatar seu sistema para ela possa fazer estee efeito.Fernando Tejo

    • Fernando, essa parte de filmagem está fora do meu escopo de conhecimento. Peço algum leitor mais especializado em filmadoras tentar responder essa questão.

  16. comprei uma maquina fugfilm fine pix S2980 18Xopcal zoom, só para tirar fotos eventuais, mas aparece tantas coisas na lente dela, a ultima foi que derrepente o visor ficou verde, e fois a noite em uma festa aí acionei o flasch, mas não adiantou porque a tela fica verde? já li o manual e não encontrei nada que pudesse me orientar

  17. Olá Luigi!

    Entro aqui apenas para agradecê-lo pelas ótimas aulas. Tenho aprendido muito com seus textos e anseio pelas próximas aulas. Sou um aprendiz tardio em fotografia e não tendo amigos nem conhecidos que se interessem pela arte fiz da internet minha escola. De tudo que venho garimpando nos últimos oito meses, os seus textos foram o achado que mais contribuiu para minha iniciação. Muito obrigado mesmo.

    Um forte abraço!

  18. Luigi, mais uma ajuda sua. Tenho uma Canon APS. Entre comprar uma lente 24mm ou uma Canon Fulframe, o que voce me sujere?
    Grato

    • As duas! :)
      Depende do que você pretende na fotografia, na verdade. Investir em lentes APS irá te escravizar no sistema APS. Se você comprar uma lente full frame pensando em adquirir no futuro um corpo full frame, por outro lado, você terá 36mm na APS o que não é mais a grande angular que talvez você precise.
      Sugiro escolher um sistema e a partir daí investir nele.

  19. Grato pelas suas aulas.
    Fiquei interessado sobre como fazer o pós-processamento em RAW. Já tem algo que eu possa ler sobre obter bons resultados em RAW?
    Aguardo e agradeço novamente.

    • Paulo,
      Há duas vertentes que você pode seguir para processar as fotos em RAW:
      A primeira é usar uma solução do próprio fabricante. Sua câmera é Canon, não sou especialista em Canon, mas o software Studio Solution da Canon tem todos os algoritmos, processamento de cor e exposição in-camera da Canon e se funcionar tal como o Nikon Capture NX2 na Nikon, você provavelmente verá as suas fotos exatamente com os ajustes que você fez na câmera e a partir daí poderá fazer ajustes finos e converter em JPG ou TIFF.
      A segunda é usar o Adobe Lightroom com um codec específico do modelo de sua câmera. O resultado irá se aproximar do que você fotografou mas não terá as regulagens in-camera de saturação, balanço de branco, contraste e outras que você usou. É um RAW mesmo, bruto, quase que partindo do zero e você terá que ajustar tudo para chegar no ponto onde você já estava quando fotografou.
      O Ligthroom é excelente, mas como eu detesto perder tempo em computador e gosto de tentar em atingir, no momento da foto, o resultado final desejado, eu opto por usar o software do fabricante, que mesmo sem ter metade dos recursos do Lightroom, atende perfeitamente meu objetivo sem perda de tempo.

  20. Olá. Parabéns pelo texto sobre mirrorless.
    No momento tenho uma superzoom Sony HX-100v e estou buscando mais qualidade nas fotos sem o peso e tamanho das DSLR. Tenho algumas dúvidas e gostaria que vc me esclarecesse.
    1ª – Numa lente 18-55 mm da Sony Nex, esses 18 mm correspondem aos mesmos 18 mm de uma DLSR, ou seja, teria o mesmo ângulo de visão?
    2ª – Vi uns comparativos na internet e pessoas falando mal da Nex 7 principalmente em fotos com baixa luz. Vc acha que esse sensor de 24 mpx é pior do que o de 16 mpx tradicional das Nex.
    3ª – Quais mirrorless’s vc acha mais interessantes atualmente, nos quesitos qualidade e recursos.
    Obrigado,
    Marcelo.

    • Olá Marcelo,
      A lente 18mm na Nex equivale a uma 27mm em uma DSLR full frame. Sobre as outras questões, minhas opiniões estão colocadas no comparativo Olympus OM-D EM-5 versus Sony NEX-7.
      Esse comparativo continua atual, mesmo considerando os novos lançamentos.

      • Luigi, tudo bem?

        Sou entusiasta da fotografia e venho buscando aprender mais. Comprei recentemente minha primeira câmera de lente intercambiável, uma nex-c3. E venho lendo seus posts.

        Estou buscando uma info que não entendo direito a respeito de equivalência de lentes, pode me ajudar ?

        V. citou na resposta acima que a 18mm da nex-7 é equivalente a 27mm em uma full frame. O que seria essa equivalência?
        Pelo que entendi, no caso da nex7 como o sensor é menor, ele ´corta´ uma parte da foto que sai mais completa em um sensor 35mm, porem é só corte, a distância focal não muda, ou seja, se eu tiro uma foto com uma nex7 usando uma lente fixa 50mm, a distância focal é igual a mesma foto tirada em uma full frame com lente fixa de 50mm, só que a área de cobertura da full frame é maior.

        É isso mesmo, ou entendi errado ?

        Minha câmera antiga era uma Bridge, fujifilm s1800. Ela vinha com uma lente 5m-90mm e no prórpi manual vinha um comparativo de equivalência full frame para 35mm – 504mm. É uma diferença muito grande, o que seria na real, em resultado de foto, essa diferença ?
        Muito Obrigado
        João R.

        • Olá João,
          A medida em mm significa a distância focal até o plano do sensor.
          Explicar isso sem imagem é complicado. Vou pegar essa emprestado na internet:
          Distância Focal
          Dá para perceber pela imagem que quanto menor a distância focal, maior é o ângulo do campo de visão.
          Uma ultra grande angular de 16mm tem um campo visual muito grande, de 107°. Uma teleobjetiva de 600mm por outro lado enxerga um campo estreito de apenas 4°.
          Tente imaginar agora, olhando a imagem acima, o que acontece se você tem um sensor menor. Para a mesma distância focal, a imagem formada terá um ângulo bem mais estreito. O padrão de referência adotado é o sensor de 35mm.
          Então uma teleobjetiva de 100mm em uma câmera com sensor de 35mm (full frame) terá um campo visual de 23,3°. A mesma lente em uma câmera com sensor menor, como uma micro four thirds, terá um campo visual de 12,4°, que é o mesmo ângulo de uma lente de 200mm na full frame. Por isso dizemos que um câmera com sensor micro 4/3 tem um fator de 2x (100m x 2 = 200mm).
          A NEX tem um sensor APS-C cujo fator é 1.5x. Ou seja, uma lente de 50mm na NEX enxerga o equivalente a uma de 75mm na câmera full frame. Como você deduziu, para uma mesma distância focal a NEX enxerga um campo visual bem menor.
          Sua câmera antiga tinha um sensor tão pequenino que a equivalência dele era de 7x, pelo que você escreveu. A diferença, nesse caso, é que o sensor menor coleta muito menos luz aumentando a relação sinal/ruído e, portanto, formando uma imagem bem pior quando comparada a uma câmera full frame.
          Abraços,
          Luigi

  21. Olá ..boa noite Luiggi.. estive lendo suas aulas muito interessantes… vou começar no mundo a fotografia abrindo um studio pra mim.. minha aquisição será uma Maquina Nikon D3200 com lentes-18-55mm. Minha dúvida é qual lente devo comprar para fazer fotos de pessoas..retratos.. meio corpo..

    • Olá Marcelo,
      A D3200 é formato DX e tem um fator de 1.5
      A melhor lente que existe da Nikon é uma fixa e muito barata: a 50mm f1.8 que na D3200 vai funcionar como 75mm, ideal para rostos e meio corpo, sem distorção alguma.
      Abraços,
      Luigi

  22. Achei suas aulas muito bem explicadas, revi conceitos estudados há muito tempo em cursos de fotografia que fiz.
    Aguardo suas novas aulas, espero que logo estejam prontas…
    Tenho uma pergunta quanto aos equipamentos antigos que possuo:
    O que fazer com maquinas e lentes semi profissionais antigos?
    Qual o melhor meio de passar minhas fotos antigas ( feitas em filmes ou cromos) para o computador?
    Obrigada, abraços.

    • Olá Regina,
      Eu tenho a mesma dúvida que você em relação às lentes e câmeras antigas :)
      Sobre o meio de passar as fotos antigas para o computador, eu tentei conseguir um scanner emprestado mas não consegui.
      Então resolvi o problema comprando um scanner de 100 dólares que funciona muito bem.
      A marca/modelo dele é Wolverine F2D 35mm Film Scanner. Ele digitaliza negativos e slides bem rápido. Funciona sem computador, tem um visor LCD para você ver o resultado na hora e ajustar alguma coisa e salva o arquivo em JPG na memória interna de 1Gb. Depois você descarrega tudo via USB.
      Abraços,
      Luigi

  23. Caro Luigi, primeiro gostaria de agradecer pelas informações muito relevantes disponíveis gratuitamente no curso de fotografia de seu site.

    Gostaria de saber se o curso foi interrompido ou se a tão esperada aula 8 está sendo desenvolvida.

    Muito obrigado !

    • Caro Francisco,
      Estou subindo algumas montanhas (não aquelas lindas, com neve, mas de problemas mesmo) e não tenho tido tempo. Entrei de férias agora e vou dar continuidade ao curso.
      Abraços,
      Luigi

      • Ok COLEGA ! Estarei aqui esperando os textos de ótima qualidade que você desenvolve ! Um grande abraço e desejo que essas montanhas tornem suas pernas fortes para que, ao fim do aclive, tenha uma ladeira de felicidade concreta !

  24. Boa tarde Luigi !
    e meus parabens pelo seu site, amigo eu gostaria de uma informaçao sou leigo no assunto comprei semana passada uma camera DSLR da nikon a D600 com uma objetiva 24-85mm gostaria de saber se esta lente é boa pra fotos de perto? retrato por exemplo! andei tirando umas fotos muito perto é obvio que nao sei mexer na camera corretamente mais achei as fotos um pouco escuras!!! sei que essa camera é umas das melhores do mercado atualmente e nao estou sabendo lidar corretamente com ela mha duvida é se devo comprar uma outra lente? fico grato pela resposta eduardo.

    • Boa noite Eduardo,
      Essa lente deve a ser do kit da D600, uma 24-85mm VR F 3.5-4.5. Me parece uma ótima lente. E a D600 é uma excelente Full Frame. Parabéns pela compra.
      Você só precisará de outras lentes a medida que surgirem necessidades específicas como uma tele para fotografar pássaros e outros animais, uma macro (chamada de micro na terminologia nikkor) para fotos de flores e insetos.
      A 24-85 serve para você fotografar paisagens, pessoas, arquitetura, é uma lente bastante versátil. Você está bem servido. Quanto à fotos escuras é possível que você não esteja sabendo regular a câmera apropriadamente.
      Abraços,
      Luigi

      • Bom dia Luigi :
        e obrigado pela sua grandiosa atençao!!
        sim esta objetiva faz parte do kit que eu comprei da nikon D600 realmente como lhe disse sou mto leigo no assunto mas quero iniciar com uma boa camera andei a tempos a investigar na net e achei a D600 com bons recusos…Luigi gostaria de uma opiniao sua sei que vc percebe bem do assunto me disserao que uma lente de 50mm é mto boa e tem um angulo e é clara estou mto interessado em compra-la mas ai é estar mha DUVIDA qual é a melhor pra mha camera e qual é a finalidade em concreto desta Objetiva? pra que ela serve? vi algumas e nao percebo tem 50mm G e tbem tem 50mm D qual é a melhor pra mha D600 um abraço eduardo.

        • Olá Eduardo,
          A lente G é também D, no sentido de que manda informações de distância para o medidor matricial. A diferença é que a G não tem o anel de abertura manual, que nas DSLR modernas não faz mais sentido. Portanto, tanto faz uma ou outra.
          Eu particularmente gosto mais da 50mm 1.8. Uma das melhores lentes já produzidas pela Nikon.
          A 1.4 é mais clara, mas é mais cara e você vai pagar a mais desnecessariamente, sem ganho significativo.
          Mas eu te recomendo não passar o carro na frente dos bois ainda. Use sua lente, aprenda bastante sobre fotografia.
          É uma boa lente.
          O equipamento é importante, mas o conhecimento é muito mais. E você já está com um ponto de partida acima de qualquer expectativa.
          Na hora que você sentir falta de lentes fixas você saberá que chegou a hora de comprá-las.
          Abraços,
          Luigi

        • Obg Luigi :
          sim realmente estou mto fascinado com mha camera e como vc mesmo disse devo conhece-la primeiro e a lente 24-85mm mas adiante devo comprar uma nova lente ..tenho lido suas informaçoes sobre seu cursos e tem me ajudado mto.

  25. Poxa….finalmente achei alguem que me ajudará a resolver meu problema. Tenho uma sony nex-5 e sempre que faço filmagens as imagens aparecem boas mas as vozes fica emboladas/tremidas…estranhas. Nem tenho ideia do que fazer, sou totalmente leiga no assunto.

  26. Boa Noite Luigi!

    Tenho uma Nikon D300s e gostaria de comprar uma caixa estanque para ela. Eu pratico a pesca submarina e gostaria de filmar embaixo da água. Vc saberia me dizer qual lente devo comprar?

    Obrigada

    • Lilian,
      Em foto sub você consegue o melhor resultado diminuindo a quantidade de água entre a câmera e a vida marinha. Ou seja, você tem que usar lentes ultra grande angulares como a Nikon 10-24mm ou a Sigma 10-20mm para chegar bem de perto e obter cores vibrantes e contraste. Para fotografar grandes peixes, tubarões, baleias e raia manta é melhor uma fisheye, como a Nikon 10.5mm f/2.8.

  27. Bom dia! Gostaria da tua opinião a respeito da D3S. Se ainda hoje, 2012, é uma ótima aquisição para ” trabalho profissional ” ? Obrigado!!!!!

    • Marcelo, a Nikon D3S ainda é uma excelente câmera, com alta performance profissional e uma fantástica sensibilidade. Sua única limitação é a resolução do sensor, de 12 megapixels. Se você consegui-la por um bom preço, usada, vale a pena.

      • Boa noite Luigi!
        Obrigado pela atenção!!!

        Faço fotografia de agronegócios( alguns eventos na área) mas, o principal são fotos das fazendas e dos animais ( gado, cavalos ) aproveito a luz natural, com sol e as vezes muita neblina( sul do RGS ). As fotos que entrego são ampliações de NO MÀXIMO 60×90. Minha dúvida: comprar nova D800 , D3s ou D4.
        OBS: tenho uma D90 ( 24-70, 70-200, 50, 20 ) Muito obrigado!!!!

        • Bom dia, Marcelo.
          O melhor benefício com o menor custo entre essas que você citou não é nenhuma delas e sim a D800E.
          A D800E foi a primeira câmera no segmento 35mm, que eu tenha notícia, que eliminou o filtro anti-aliasing (várias câmeras de médio formato já haviam eliminado esse filtro). Esse filtro corrige bandas de interferências de cores (efeito moiré), mas por outro lado embaça as fotos, funciona como um filtro “blur”. Você pode ter as melhores lentes fixas e usar tripé, que suas fotos não vão sair com a nitidez real por causa desse filtro presente em praticamente todas as câmeras 35mm. Eliminando esse filtro, com boas lentes as fotos ficam ultra nítidas, sem precisar de passar pelo photoshop.
          O moiré é mais preocupantes em fotos de moda e de produtos, mas não são problema em fotos de natureza (exceto alguns pássaros, talvez), donde a minha recomendação é pela D800E. Não creio haver um ganho significativo para o seu uso que justifique o preço de uma D4. Espero ter ajudado. Abraços,
          Luigi

        • Boa noite, Luigi!

          Obrigado pela dica! Valeu!

  28. Luigi, suas explicações são excelentes, você escreve muito bem e demonstra conhecer profundamente a matéria. Parabéns. Dito isto, faço um senão: você não dá os devidos créditos das imagens postadas. Identifiquei imagens do Dpreview que passam como suas. Você não gostaria que alguém usasse suas fotos sem lhe dar os devidos créditos, não é mesmo? A propósito, sugiro, sem ironia, que você dedique uma aula à ética na fotografia. Um abraço…

    • Em todas as aulas, você pode checar, eu dei os créditos devidos aos fotógrafos. Nessa, como praticamente todas as fotos são de divulgação de equipamentos, e não fotos artísticas, não me preocupei em pesquisar os créditos. Isso costuma ser trabalhoso neste tipo de foto, pois elas quase nunca vem acompanhadas de créditos. A imagem da DPreview é um print screen da tela, do termo de comparação entre imagens. Falha minha não dar o link. Não foi intencional. Vou corrigir. Na outra matéria que comparo a Olympus com a Sony eu já havia remetido diretamente ao site da DPreview.

      • Caro Luigi, devo-lhe sinceras desculpas. Fui precipitado ao tecer um comentário conclusivo com base em apenas um texto. Ocorre que comecei a ler seus escritos exatamente no único texto em que você deixou de dar alguns créditos. Reconheço meu erro ao ler seus demais textos e constatar que você não só dá os créditos como fornece informações sobre os fotógrafos, facilitando eventuais pesquisas dos leitores. Finalizando, acabo de ler todas as suas aulas e fico com a sensação de “quero mais”, o que revela o respeito que adquiri pelo seu trabalho. Grato.

  29. Olá, fazendo o curso, vi uma parte que fala rapidamente sobre os sensores CMOS e CCD. Pesquisei em outros lugares e falam que o chip CCD é mais caro, porém a qualidade da imagem é bem melhor. Só que a informação não é atual. Gostaria de saber se hoje em dia, o sensor CCD continua a ser melhor que o CMOS.
    Obrigado!!
    Marcio

  30. Parabéns pela qualidade das informações. Foi o melhor site que encontrei. Minha dúvida reside na escolha de uma máquina portátil que tenha um sensor acima da média e um bom zoom. Qual sua sugestão já que portabilidade e preço são fundamentais para mim.

  31. Bom dia,
    excelente trabalho que você faz aqui.
    Gostaria de uma ajuda relativamente ao adquirir uma maquina fotográfica,mas sou sincero que não entendo muito disso.
    A maquina que pretendo adquirir é para principalmente fazer macros e peixes e corais.Não preciso de qualidade profissional “derivado o excesso valor das maquinas”.
    Quais são as maquinas que me pode aconcelhar?
    Muito obrigado desde já.

    • Boa noite Helder,
      Esta parte de câmeras submarinas não estou muito por dentro. Sou mergulhador e já fiz foto sub com câmeras compactas à prova d’água. O resultado é muito ruim. O equipamento ideal para fotos sub é uma DSLR full frame com uma lente ultra grande angular bem clara, 18 ou 20mm f/1.8. Isso irá te permitir chegar bem perto do coral ou dos peixes para obter cores mais vibrantes. No fundo mar, o efeito da distância é drástico nas cores. Quanto maior, mais apagadas ficam as cores. O balanço de branco terá que ser bem feito também para eliminar o excesso de azul.
      O sensor grande da câmera ajudará na definição das cores com baixo ruído.
      A caixa de proteção para a câmera chama-se Underwater housing, que são fabricadas especificamente para cada modelo. É conveniente também comprar um jogo de flashs sub para obter as cores mais vivas.
      O problema é que tudo isso custa muito caro.
      Uma câmera com sensor menor tipo APS-C vai exigir uma lente tipo 10 ou 12 mm. Uma alternativa mais em conta é comprar uma DSLR tipo a Nikon D7000 ou uma câmera mirrorless tipo a Sony Nex-7 ou a Olympus EM-5 que eu analisei no artigo .
      Daí terá que comprar uma underwater housing específica para o modelo.

  32. Olá Luigi: parabéns pelo Curso … espero por mais aulas…. Quanto as cameras Mirrorless, tenho uma dúvida, por não fazem com sensor APS-C ou FullFrame?(Existe algum impecilio técnico par isso?) Esse sensor 4/3 não aumenta a possibilidade de ruido?. Tendo em vista a portabilidade estou muito inclinado a adquirir uma dessas porém tenho receio com esse fator de corte de 2x e ainda com provavél ruido. Será que a coisa nào vai evoluir para FullFrame e daqui alguns meses estarei com uma camera obsoleta nas mãos? Um abraço e novamente parabéns pelo curso. Waldir

    • Olá Waldir,
      A questão é a portabilidade. Com um sensor full frame em uma câmera mirrorless consegue-se diminuir a espessura do corpo da câmera, mas não o tamanho das lentes, cujo diâmetro está ligado ao tamanho do sensor. É possível que o espelho desapareça no futuro e as full frame tornem-se câmeras sem espelho (vários analistas já apontam essa tendência), mas isso não irá alterar significativamente seu peso e tamanho. Elas ficarão apenas um pouco mais leves.
      A proposta do sensor micro 4/3 é justamente conseguir um bom compromisso de qualidade em uma câmera bastante leve e portátil, com lentes pequenas e leves, mas com boa qualidade.
      Quanto à APS-C, as câmeras sem espelho da Sony são APS-C. Com esse tamanho de sensor já se consegue bastante portabilidade no corpo, mas as lentes continuam pesadas e, diria, até desproporcionalmente pesadas em relação ao corpo da câmera, ficando um centro de gravidade um pouco estranho de se acostumar no início.
      Sobre a questão do ruído, é válida sua preocupação. Quem precisa de máxima qualidade em ISO mais alto deve considerar uma Full Frame.

  33. Olá!

    Adorei todos os tópicos do curso. Estou cada vez mais fascinada pelo universo da fotografia!!

    Não terá continuidade?

  34. Bom dia, li todas as suas aulas e gostaria de parabenizá-lo pela iniciativa, como inciante, suas aulas me ajudaram muito.
    Nos próximos meses irei adquirir minha 1º DSLR, e por enquanto será a Canon T3i, andei pesquisando e encontrei um valor acessivél no site universo das cameras, e estou em dúvida entre 2 opções de compra:
    1º Só o corpo e depois compro separado a lente de 50mm 1.8
    2º Uma opção que vem junto a lente de 18-135mm, sendo este conjunto um pouco mais caro.
    Minha dúvida é: Compensa pagar mais caro e pegar junto com a câmera a lente de 18-135mm????
    tenho receio de sentir falta de um pouco de zoon só com a 50mm1.8., por outro lado tenho lido que a 135mm não possui muita qualidade optica.

    Se poder me responder ficarei muito grato

    Att
    Erivan

    • Olá Erivan,
      Não conheço especificamente essa lente da Canon, mas posso te dizer com base na experiência que lentes com longo zoom de mais de 5x e escuras como é o caso da 18-135mm 3.5-5.6, tem sempre uma baixa qualidade. Por outro lado a lente de 50mm 1.8 te oferecerá uma alta qualidade, mas a limitação de campo visual.
      Via de regra, para fotos em que a qualidade é fundamental, aconselho usar lentes fixas ou zooms de alta qualidade, que geralmente são bastante luminosas (f/2.8), com alcance de 2x, como uma lente que seja equivalente a uma 24-50mm e são bastante caras.
      Mas para demais fotos sem compromisso de um grande diferencial de qualidade, como uma festinha de aniversário, reuniões, viagens de passeio, é bom ter uma lente zoom de alcance um pouco maior, como uma 18-55mm, mesmo que seja escura. Isso evitará de você ter que levar várias lentes, ter que andar com uma bolsa grande, com muito volume e peso, e ter que ficar trocando lentes em uma situação em que o objetivo principal não é fotografar e sim apenas registrar o momento.
      A 18-135mm na T2i será equivalente a uma 29-216mm. É uma opção, se você pensa em ter uma lente de baixa qualidade para situações triviais e depois mais tarde, quando puder, investir em um jogo de lentes fixas. Eu fiz uma opção similar quando comprei minha primeira câmera de filme, com uma 24-120mm, que não era boa, mas serviu até que eu pudesse comprar outras melhores.
      Se você, por outro lado, não pensa em ter um conjunto de lentes fixas no futuro, e sim duas zooms, uma na faixa grande angular-normal e outra na faixa de telephoto, talvez seja melhor tentar comprar logo de uma vez uma zoom de melhor qualidade como uma EF 17-40mm f/4L (na T2i irá equivaler a uma 25-60mm, alcance suficiente para boa parte das situações).

  35. Amigo,

    Muito bom o artigo.

    Eu sou leigo em fotografia e gostaria de saber se pode me ajudar.
    Sou arquiteto e comumente preciso tirar fotos de ambientes internos.
    Porém nunca consigo enquadrar as fotos corretamente, pois mesmo no mínimo de zoom a imagem fica muito próxima.

    Já tive uma Sony Nex-5 com a lente 18-55mm, porém observei o mesmo problema e a foto panorâmica para ambientes fica tremida na junção de imagens.
    Observei que a Nex-5 também possui a lente de 16mm, mas acredito que ainda seja pouco para este uso específico.

    Andei pesquisando, porém vi que dependendo da câmera, uma lente uma certa distância focal pode se equivaler a outra distância.

    Também vi que dependendo da distância focal, a imagem fica distorcida, como em uma lente olho de peixe, que não é o que procuro.

    Enfim, estou procurando uma camera barata, que eu possa tirar fotos de ambientes internos (um quarto por exemplo), mostrando o máximo de campo visual sem distorcer a imagem como em uma lente olho de peixe.
    Não necessito de alta qualidade, porém desejo algo um pouco melhor que as digitais comuns Point-and-Shoot.

    Qual camera e lente recomendaria para mim?
    Uma Sony Nex com lente 16mm é adequada a esse uso e conseguirei o máximo de campo visual antes de distorcer a imagem como em uma lente olho de peixe ou ainda é possível o uso de uma lente com distância focal menor, sem a distorção que citei?
    Existe alguma Point-and-Shoot que possua tal recurso, com custo menor?

    Desculpe as perguntas. Já pesquisei bastante, mas não consegui entender.
    E também não consegui chegar a uma conclusão.
    Muito obrigado pela ajuda.

    • Prezado Fábio,

      Você está tendo esse problema devido ao fator de correção da lente no formato de sensor da NEX-5.
      A lente para arquitetura precisa ser uma ultra grande angular entre 16 a 24mm no padrão de sensor FX (que é o padrão de referência). Dependendo do tamanho do sensor, há um fator de correção para o ângulo de abertura da lente.
      Nas lentes da Sony NEX, o sensor é de um tamanho APS-C, com um fator multiplicador de 1.5x. Ou seja, a 18mm equivale na verdade a uma lente de 27mm e por isso ela não tem um ângulo muito grande para o tipo de foto que você precisa. A 16mm da Sony eserá equivalente a uma de 24mm, o que já melhora, mas se você precisar de maior ângulo de abertura estará no limite, pois a Sony não tem lente abaixo de 16mm.
      Para fotos profissionais de arquitetura normalmente se usa uma lente grande angular que ofereça controle de perspectiva para que as linhas verticais paralelas não fiquem convergindo para cima. A situação ideal é uma lente tilt and shift de 24mm com um câmera de sensor Full-Frame (FX), como a Nikon D800 e uma lente ultra-grande angular de 16mm para fotos de interiores.
      Porém, esse equipamento tem um alto custo. Resta então comprar uma câmera mais em conta com uma lente grande angular e tentar corrigir a perspectiva no Photoshop. A Sony já tem uma função interna de correção semelhante ao Photoshop. O problema dela são as lentes.
      Creio que no seu caso, pensando em uma lente versátil com um compromisso custo qualidade, o correto seria uma lente zoom ultra-grande angular.
      A câmera Olympus OM-D EM-5 que eu comparei no artigo é uma opção. A Olympus tem várias opções de lente para uso em arquitetura. O fator dela é 2x. Ou seja, uma lente de 12mm será equivalente a uma de 24mm no sensor FX.
      Uma das seguintes lentes da OM-D EM-5 pode ser adequada para você:
      1ª escolha: M.Zuiko Digital ED 9-18mm f4.0-5.6 (equivalente a uma lente de 18-36mm no padrão FX)
      2ª escolha: M.Zuiko Digital 12-50mm f3.5-6.3 EZ (equivalente a uma lente de 24-100mm no padrão FX)

      Outra possibilidade boa é comprar uma Nikon APS-C de entrada como a D7000 e usar uma lente zoom Nikkor de 10-24mm (equivalente a 15-36mm no padrão FX).

      • Olá Luigi,

        Obrigado pela resposta.
        Usar uma Sony NEX com adaptador para uma outra lente não daria certo?
        Pois vi que existem adaptadores para a Sony NEX utilizar lentes de outras marcas.
        Abraço,
        Fabio

        • É possível que sim, se não houver nenhuma limitação do adaptador quanto a ultra grande angulares.

  36. Boa tarde LUIGI

    Fico satisfeito pela sua resposta, tão prestativa e eficiente.
    Olha que pesquisei na internet, por longo tempo e não tinha encontrado nada semelhante, de fato vc está atento e por dentro deste mercado.

    De fato, tem sua razão de ser, pois comprei a Sony Nex-C3 na cidade de Dnipropetrovski, Ucrania, em início de março deste ano. Por isto esta limitação, com certeza.

    Para seu conhecimento, o lojista do shopping, me disse que era a última do estoque e que iria demorar uns dias para reposição, era a do mostruário, mas como eu estava com pressa, pois queria registrar minha passagem por lá e já estava com retorno programado ( veja que eu nem levei uma do Brasil, pois fui com intenção de compra-la e trazer na mão, como turista) e na Europa, eles tem muito cuidado ao vender a do estoque, para estrangeiros, pois temem reclamação futura, tive mesmo de convencê-lo.
    E a loja ainda foi muito solícita, através de seu gerente, e acabaram me entregando a máquina com : lentes 3.5-5.6/18-55 Optical Steady Shot Sony, Flash, 2 baterias, um cartão de memória de 32 Gb, um cabo USB, um cabdo HDMI, um Case Apex 110AW da Lowepro e um suporte emborrachado tipo flexível que vc pode até prender em uma coluna ou grade, e o carregador, obviamente.
    Tudo isto por 5.174,00 UHR (grivna) o que equivaleu na data a 643,90 USD , 488,00 € e finalmente a R$1.114,00 , acredite, com tudo isto que relatei de acessórios.
    Por aí podemos ver que uma cidade que dista 700 km de Chernobyl e que recentemente foi alvo de atentado a bomba em pleno centro, como se vê na Globo e Exame, está anos luz á nossa frente.

    Grande abraço amigo, sucesso pra vc e fique com Deus.

  37. Boa noite
    Ótimo site, conteúdo fenomenal.
    No meu caso, como amador que sou, aprendí muito e continuarei aprendendo.
    Mas minha pergunta é : por quanto tempo se pode ilmar na Sony Nex-C3 ?
    Ocorreu-me que em certa oportunidade deixei a camera filmando um jogo num ginásio de esportes, fixa num tripé e de repente, percebí que não gravava mis, após uma meia hora. Tive de religar a camera e gravar a continuidade do jogo, sendo que antes da continução ela automáticamente GRAVOU o video nterior e sòmente após que onseguí gravar o segundo tempo do jogo, como estava no intervalo, não fui prejudicado. Vc tem algo a relatar a respeito? Em tempo, a temperatura ambiente no ginásio não era superior a 25 * C. Grato, abraço e fique com Deus

    • Prezado Ademar,
      Pelo que eu saiba, quase todas as câmeras DSLR ou mirrorless tem a duração de vídeo limitada a 29 min e 59s cada clipe.
      Dizem que essa limitação é devido a um problema fiscal na Europa. O VAT, imposto sobre consumo europeu, define uma filmadora como aquela capaz de filmar 30 minutos ou mais continuamente. Daí a filmadora tem 12% a mais de imposto de importação.
      Para contornar essa regra e não encarecer as câmeras fotográficas em um dos mais importantes mercados consumidores, os fabricantes japoneses colocaram essa limitação de 29m:59s.
      Não sei se isso é verdade, mas faz sentido.

  38. Luigi,
    Que show! Estava aguardando essa aula 8 com muita ansiedade. Esperava alguma coisa sobre a linha da beleza e quando vi que era sobre equipamento não fui com muita fé. Mas você foi fundo e bagunçou as minhas certezas. Sempre tive DSLR da Nikon com algumas lentes. Sou fã das Nikon! Quando as digitais começaram a invadir acabei vendendo meus equipamentos com a maior dor. Estava decidido a voltar para DSLR e já fechando a compra da Nikon D5100, mas sempre lembrando que minha mulher sempre perguntava nas minhas viagens. Vai levar o trambulhão? Agora fiquei cheio de dúvidas se devo embarcar na Mirrorless. Vou aguardar um pouquinho para aprender mais sobre o assunto. Parabéns por tudo e muitíssimo obrigado. Suas aulas estão, realmente, um show!

    • Elio,
      As duas câmeras que vou comparar no próximo artigo são superiores em todos os aspectos, especialmente em qualidade de imagem, à Nikon D5100 e à Nikon D7000, bem como à Canon EOS 60D.
      Aguarde para ver a comparação.

      • Olá Luigi,
        Ainda bem que não me precipitei. Vou adiar minha decisão e aguardar ansiosamente o próximo artigo.

        Obrigado pela atenção.

  39. Sensacional! Eu já era admirador de sua capacidade e dedicação. Depois dessa aula, a minha admiração aumentou ainda mais. Aguardei essa outra aula com ansiedade. Sempre passava por aqui, olhava o blog todo (que acho ótimo) e procurava a aula. Ela chegou e confesso que quando vi o tema achei que não iria me impressionar muito pois, como vou viajar em breve queria mais dados sobre as técnicas etc. e as aulas anteriores foram repletas de informações mais que úteis para amadores como eu. Então, voltando, fui ler o seu texto. Que grata surpresa! Vou ler e reler ainda muitas vezes. Quero, antes de mais nada, agradecer por sua grandeza em disponibilizar o seu conhecimento de forma tão competente e altruísta. E agora quero parabenizá-lo por seu talento e conhecimento. Agradeço por tudo.
    Fausto

  40. Olá, amigo estou em dúvida entre duas câmeras a Sony NEX-C3 e a Sony NEX-5N, pelos testes feitos em sites como Dpreview, Imaging Resource, Ephotozine entre outros, parece que a imagem da NEX-C3 parece mais clara que a NEX-5N na mesma faixa ISO, não sei porque mas a NEX-5N saiu mais escura, até com o flash ela saiu mais escura, você que entende mais do assunto pode me dizer porque isso aconteceu? Pelo sensor um pouco diferente das duas câmeras?
    Pretendo utilizar no iAuto, tudo automático, porque não entendo muito em fotografia, pegarei essa câmera porque o sensor dela é APS-C.
    Obrigado.

    • Olá Carlos,
      Dentro da linha da Sony, na ordem do melhor para pior, NEX-7, NEX-5N e NEX-C3. A imagem da 5N é superior à da C3, além da 5N filmar em 1080P e a C3 em 720P. A 5N tem um sensibilidade de ISO muito maior, o dobro da outra, e menos atraso de obturador. Por todas as outras características, não há dúvida que 5N é melhor que a C3. Entretanto, há outras duas câmeras que vou comparar que são superiores a esta em todos os sentidos. Aguarde o comparativo.

  41. Olá!
    Parabéns pelo site! Boas informações e paralelos…de tamanho e peso.
    Tenho uma Olympus E-P3 (lentes 14-42 – 40-150mm e a maravilhosa 45mm 1.8) gosto muito da minha PEN…..fiz ótimas fotos com ela…..e na minha opinião é a camera mais bonita do mundo, inclusive mais bonita que minha futura camera…..a Olympus om-d e-m5…mas blz é o de menos…a EM-5 vem com melhorias interessantes….melhora significativa no uso de ISOs elevados, melhora no range dinamico, melhora na estabilização…além de melhora no vídeo, viewfinder e LCD rebatível….pra ficar só nas principais melhorias frente a já ótima E-P3…..essa camera fará história.
    OBS: tem um dado errado…o autofoco (Dia ou ambiente Claro) é 22ms e não 29 como vc postou….e nos teste atingiu na noite com pouca luz…excelentes 39ms

    Novamente parabéns!!!!!!

    Abraços!!!!

    • Bem, uma coisa é certa: a Olympus tem o autofoco mais rápido do mundo e o seu comentário foi o mais rápido do meu site. Eu acabei de postar o artigo, fui comer uma pêra, voltei e lá estava o seu comentário! :) Valeu. Muitíssimo obrigado.

 Escreva um comentário

(requerido)

(requerido)

Você pode usar estas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>